Política

Governador do RS também afirmou que errou em votar em Bolsonaro em 2018, mas detacou: 'Não vendo a alma pra ganhar a eleição'

19/10/2021 17h19
Governador do RS também afirmou que errou em votar em Bolsonaro em 2018, mas detacou: 'Não vendo a alma pra ganhar a eleição'
Governador do RS também afirmou que errou em votar em Bolsonaro em 2018, mas detacou: 'Não vendo a alma pra ganhar a eleição'

SÃO PAULO e RIO — No debate entre pré-candidatos do PSDB para se tornar o presidenciável do partido, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, propôs o fim da reeleição. A declaração foi dada quando Leite foi questionado se, caso não fosse escolhido, ele tentaria um novo mandato no governo do RS. Ele já havia afirmado em outras ocasiões que não tentaria se reeleger e confirmou esse desejo nesta terça-feira, no debate das prévias presidenciais do PSDB organizado pelos jornais GLOBO e Valor.

Leite afirmou também que não querer a reeleição o ajudou a melhor o relacionamento com o Legislativo do estado. 

— O nosso modelo político é um ambiente de pouca colaboração se o eventual candidato é o governante ao cargo. Não ser candidato a reeleição criou um ambiente de maior colaboração com a Assembleia Legislativa — afirmou Leite, que disse que enfrentou temas sensíveis com o assembleia, superados pelo entendimento de outros partidos de que haveria benefícios para eles caso concorressem e ganhassem a eleição.

Assista à integra do debate

Leite também disse que a reeleição é um “problema” nos moldes atuais do sistema político brasileiro.

— Reeleição com fragmentação partidária como a gente tem é um problema. Se tivesse um sistema bipartidário, dois partidos fortes, a reeleição poderia ter uma outra condução. Mas, quando precisa constituir apoios políticos para formar um governo, a reeleição acaba sendo um problema.

Erro em apoiar Bolsonaro

Leite também procurou justificar nesta terça-feira o seu voto no presidente Jair Bolsonaro no segundo turno das eleições de 2018. A declaração foi feita em resposta ao ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio.

Além de Leite, Doria também contou com o apoio do presidente Bolsonaro na eleição passada e criou o slogan "Bolsodoria". Depois de eleito, porém, assim como o governador do RS, o paulista rompeu com o presidente e se tornou um dos seus principais opositores na política.

Autor: Gustavo Schmitt, Camila Zarur e Rodrigo Castro

Fonte: oglobo.globo.com