Polícia

Vítima de estupro coletivo com participação de PM do DF fala sobre crime: 'Que isso não aconteça com mais ninguém'

13/10/2021 17h33
Jovem de 25 anos conta rotina de medo e nervosismo após ser violentada durante festa na madrugada de sábado (9), no Entorno. Três suspeitos estão presos, entre eles Irineu Marques Dias, subtenente da Polícia Militar do DF.
Vítima de estupro coletivo com participação de PM do DF fala sobre crime: 'Que isso não aconteça com mais ninguém'

A jovem de 25 anos, vítima de um estupro coletivo durante uma festa no Entorno do DF, conta que vive uma rotina de medo desde sábado (9), data do crime. Três suspeitos estão presos, um deles é subtenente da Polícia Militar do Distrito Federal (veja mais abaixo).

 

"Quero a prisão de todos eles e que isso não aconteça com mais ninguém", diz a jovem que prefere manter a identidade sob sigilo.

 

A vítima, que está abrigada no DF, disse nesta quarta-feira (13) que, desde o dia do crime, não volta para casa. "Tenho medo de alguém vir atrás de mim e da minha família e fazer algum mal".

Quem está preso

O estupro coletivo ocorreu na madrugada de sábado (9), em uma casa, em Águas Lindas de Goiás (GO). Nesta quarta, a jovem voltou a dizer que foi violentada por seis homens.

Três suspeitos foram presos em flagrante. No domingo (10), durante a audiência de custódia, a medida foi transformada em prisão preventiva (por tempo indeterminado).

Estão presos: o subtenente da Polícia Militar do DF Irineu Marques Dias, de 44 anos, Thiago de Castro Muniz, de 36 anos, e Daniel Marques Dias, de 37 anos, que seria irmão do PM. O g1 tenta contato com a defesa dos investigados.

A PMDF afastou o subtenente do serviço "até a elucidação deste fato". Além disso, a corporação diz que investiga o caso e que aguarda a conclusão do inquérito.

 

O crime

 

Em depoimento à polícia, a vítima contou que estava em uma festa que começou na noite de sexta-feira (8) e iria até domingo (11). Segundo a jovem, ao amanhecer de sábado, foi convidada por duas mulheres para dormir em um quarto.

No entanto, depois de um tempo, as duas saíram e a deixaram sozinha. Conforme a vítima, um homem entrou no quarto e começou a tirar a roupa.

Ela disse que, depois de mostrar que estava armado, o homem a estuprou. A jovem contou ainda que, após a agressão, o suspeito deixou a arma dentro de um guarda-roupa, como forma de ameaça, e saiu do quarto.

Foi quando outros homens passaram a se revezar para estuprá-la. A vítima disse que, durante todo o tempo, gritou por socorro, mas não foi atendida.

Depois dos abusos ela conseguiu fugir, inclusive usando a camiseta do subtenente, e acionou a polícia. A jovem recebeu os primeiros socorros e foi levada à delegacia de Águas Lindas.

Seis pessoas foram presas, mas a vítima reconheceu apenas três. A arma usada no crime seria de Irineu.

Autor: Walder Galvão e Laura Tizzo, g1 DF e TV Globo

Fonte: g1.globo.com