Polícia

Ronda no Bairro afasta agentes suspeitos de agredir e chamar adolescente de "negrinho" no Centro

13/05/2022 19h50
Mãe da vítima denunciou o caso à polícia nessa quinta (12); um processo administrativo está sendo realizado junto ao setor disciplinar do programa
Ronda no Bairro afasta agentes suspeitos de agredir e chamar adolescente de "negrinho" no Centro

Após uma mãe denunciar que o filho de 17 anos foi agredido e chamado de "negrinho" por dois agentes do Ronda no Bairro, a superintendência do programa anunciou, nesta sexta-feira (13), que os agentes de proximidade envolvidos na ocorrência foram afastados das atividades durante o período de apuração do caso.

De acordo com a nota enviada à Gazetaweb e assinada pelo coronel José Cícero Domingos da Silva, um processo administrativo está sendo realizado junto ao setor disciplinar do programa, com a finalidade de esclarecer o caso de agressão e injúria racial.

“A Superintendência do Programa Ronda no Bairro reforça que o PRB trabalha baseado na filosofia do policiamento de proximidade, de forma humanizada, não aceitando condutas que vão contra o preceito básico do Programa”, diz trecho da nota.

O CASO

De acordo com a mãe do rapaz de 17 anos, Claudevania de Souza Santos, o jovem transitava em uma bicicleta, em frente a um estabelecimento comercial do Centro de Maceió, quando passou por agentes motorizados do Ronda no Bairro.

"Um policial disse: 'pare seu negrinho! Para logo seu negro'. Como a bicicleta do seu filho estava com problema no freio, tentou parar com os pés e, como não conseguiu parar imediatamente, o mesmo policial proferiu um chute nas costas do seu filho, onde veio a cair no chão, causando várias lesões e escoriações", diz trecho do relato da mãe.

Em seguida, os quatro agentes pararam as motocicletas em que estavam, mas somente dois deles desceram dos veículos, sendo estes os responsáveis por desferir as agressões.

"Os quatro policiais pararam as motos, onde apenas dois desceram, e foram em direção ao seu filho, arrastando-o pela camisa. Em seguida, o pressionaram contra uma porta de rolo de um ponto comercial e passaram a proferir vários choques em sua barriga, em cima de uma cirurgia pela qual o mesmo passou recentemente", relatou a mãe.

Autor: Maylson Honorato

Fonte: gazetaweb.globo.com