Polícia

Presos derrubam parte de parede entre duas celas e matam dois detentos dentro do Presídio de Itaquitinga

08/05/2021 13h01
Duplo assassinato ocorreu na penitenciária de segurança máxima na Zona da Mata. Segundo perita criminal, crime foi praticado com pedaços de concreto e uma arma artesanal.
Presos derrubam parte de parede entre duas celas e matam dois detentos dentro do Presídio de Itaquitinga

Dois presos foram assassinados, na quinta-feira (6), no Presídio de Itaquitinga, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, distante 85 quilômetros do Recife. Equipes da Delegacia de Plantão de Nazaré da Mata e do Instituto de Criminalística (IC) foram até a penitenciária de segurança máxima.

De acordo com a perita criminal Laís Helena Medeiros, do IC de Nazaré da Mata, as vítimas estavam em uma cela do Pavilhão D do presídio. Ela contou que, para ter acesso ao local em que os dois estavam, os detentos que cometeram esse crime fizeram uma abertura na parede que dividia as celas.

"As duas vítimas eram da cela 2 e os agressores eram da cela 1, mas eles tiveram acesso demolindo parte da parede que dividia as duas celas", declarou a perita criminal.

Nos corpos de Fernando Augusto Ângelo da Silva e Leonardo Soares de Melo, foram encontrados diversos ferimentos. A perita disse que foram utilizados pedaços de concreto e uma arma artesanal para praticar o crime.

"Utilizaram pedaços de concreto e as bandejas do refeitório foram quebradas. Com as pontas, eles produziram esses instrumentos para praticar o crime", disse Laís Helena.

A perita criminal explicou que o IC iniciou a análise das condições estruturais nas quais essa parede foi construída. "A cela 2, onde os presos estavam, era originalmente uma cela única e foi feita uma adaptação para que ela se transformasse nas celas 1 e 2", contou.

 

Resposta do governo

 

Por meio de nota, a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) afirmou que os agressores foram identificados e respondem criminalmente e ao Conselho Administrativo Disciplinar da unidade.

A secretaria também informou a abertura de um procedimento interno para apurar as circunstâncias do crime. "A Seres comunicará o fato ao poder judiciário para providências necessárias", disse, no texto.

Autor:

Fonte: g1.globo.com