Polícia

‘Não existe plano B, pois não haverá greve’, diz comandante da PM

11/02/2012 10h08
‘Não existe plano B, pois não haverá greve’, diz comandante da PM
Secretário de Segurança disse que Governo não está preocupado. Durante evento promovido pelo Governo Estadual para a entrega simbólica de 35 viaturas para Polícia Militar que serão encaminhadas a 35 diferentes municípios do estado, o comandante-geral da PM, coronel Luciano Silva, foi categórico e afastou qualquer possibilidade de greve dos militares em Alagoas.   Luciano também disse que somente 11 municípios tinham déficit de viaturas e que o estado estava aparelhando a segurança dos demais municípios com o reforço de mais uma viatura.    

Greve

    “Não vejo motivação para os PMs em Alagoas entrarem em greve. A população deve ficar tranquila. A polícia está desenvolvendo um bom trabalho e o governo está aberto às negociações”, relatou Luciano, que confirmou que os órgãos de segurança não estão preparados para uma possível greve. “Não há um plano B e não existe, porque não haverá greve”, afirmou comandante.   Acompanhando o mesmo discurso, o secretário de Defesa Social, coronel Dário César, disse que o Estado não está preocupado com a greve. Segundo Dário, os servidores estão fazendo seu papel e o governo aguarda a proposta deles.   Já o comandante do Corpo de Bombeiros adotou um tom mais duro. Segundo Luiz Antônio Honorato, as reivindicações dos servidores são legais, porém, a forma como serão exigidos esses direitos precisam ser analisadas. “Violência não será permitida. As exigências terão que ser feitas com cautela e respeito”, adiantou o coronel.    

Caso Nivaldo Albuquerque

    Sobre o atentado contra o filho mais velho de deputado estadual Antônio Albuquerque, o Nivaldinho, o comandante-geral da PM disse que passou todas as informações disponíveis para a Polícia Civil e que o caso será elucidado em breve. Luciano disse ainda que toda a comunidade de polícia, tanto a PM quanto a PC, veêm esse caso com preocupação.    

Violência em Alagoas

    Quanto aos elevados índices de violência, o coronel Luciano Silva voltou a apontar as drogas, mais precisamente o crack, como responsável pelo alto número de ocorrências policiais. “Toda e qualquer violência dentro da capital alagoana está relacionada com o consumo ou a venda do crack", disse. O comandante lembrou que em março será lançado o ’Programa Crack, é possível vencer’, que tem como principal objetivo coibir o tráfico em Alagoas. Alagoas24  

Autor: Fábio Santana