Polícia

Líder confessa 11 assaltos a agências dos Correios em AL

06/06/2012 01h41
Líder confessa 11 assaltos a agências dos Correios em AL
Mandados de prisão cumpridos na manhã desta terça-feira (5) pela Polícia Federal, em Maceió e Arapiraca, levaram mais três acusados de assaltos a agências dos Correios ao sistema penitenciário alagoano. Na investigação, que já dura mais de seis meses, nove homens foram identificados e já estão presos. Juntos, de acordo com a Polícia Federal, eles já teriam praticado nove assaltos aos Correios. No último dia 31 de maio, Pedro dos Santos Filho, conhecido como “Peu” e tido como líder da quadrilha, foi preso quando estava prestes a praticar o sexto assalto a agência dos Correios só no mês de maio. Segundo a PF, há indícios da participação de Peu em pelo menos 15 assaltos. Ele confessou, em depoimento na PF, o envolvimento em onze deles. Com Pedro, mais dois homens foram detidos. Nesta terça, mais seis integrantes da quadrilha foram localizados, sendo que três já estavam cumprindo pena no sistema prisional. Dos que estavam em liberdade, dois foram detidos em Arapiraca e outro em Maceió. Na prisão realizada em Traipu, no dia 31, quando Peu foi encontrado, um dos assaltantes conseguiu escapar e ainda está foragido. Além dessas prisões, as provas colhidas na investigação e os depoimentos de testemunhas, que, inclusive, reconheceram os suspeitos através de fotografias, levaram a PF a sete nomes: Pedro dos Santos Filho, Jaelson dos Santos Silva, Jorge Luiz Aquino da Silva, Odilon Dantas, Cristiano Rocha Ferreira, Thayrone Tenório da Silva e David Jeferson Leandro da Silva. Todos eles respondem por formação de quadrilha e roubo qualificado. Os outros dois, presos em Traipu, não tiveram seus nomes revelados. De acordo com a PF, todos os investigados têm passagem pela polícia, sob acusação de assalto. Os mandados de prisão preventiva foram expedidos pelo juiz federal Aloisio Cavalcante, da 8ª Vara de Arapiraca. Após serem ouvidos, os acusados serão encaminhados à Casa de Custódia e estão sujeitos a penas de até 15 anos de reclusão. PF investiga outras quadrilhas Apesar da prisão destes nove assaltantes, a PF reconhece que há outros nomes envolvidos nos assaltos a agências dos Correios. “A gente tem conhecimento da existência de outras quadrilhas que cometem o mesmo delito no estado. E estamos investigando”, alertou o delegado Gustavo Gatto em entrevista coletiva, na tarde desta terça (5). Questionado se haveria alguma relação entre o aumento no número de assaltos e a proximidade do período eleitoral, o delegado Igor Romário de Paula, da regional de Combate ao Crime Organizado, disse que ainda não foram encontrados indícios que possam levantar esta suspeita. “A gente está investigando. Mas até agora não se pode estabelecer uma ligação entre os assaltos e o fato de estarmos em ano eleitoral”, explicou.
Fotos

Autor: Raul Rodrigues