Polícia

Denúncia sobre "tribunal do crime"

11/09/2012 20h25
Comandante diz que ação da PM alega legítima defesa
 Denúncia sobre "tribunal do crime"

O comandante da Polícia Militar de São Paulo, coronel Roberval Ferreira França, afirmou na noite desta terça-feira que a operação da Rota (grupo especial da PM) que terminou com nove suspeitos mortos e oito presos em Várzea Paulista (a 54 km de SP) foi legítima.

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1151871-tiroteio-com-a-rota-deixa-nove-mortos-em-varzea-paulista-sp.shtml

 "Todos os indícios atestam uma ação legítima por parte dos policiais. Temos um arsenal de grosso calibre apreendido no local, o que indica a disposição do confronto", afirmou.

Segundo a polícia, uma denúncia anônima chegou ao setor de inteligência da Rota informando o local onde um homem suspeito de estupro seria julgado por um "tribunal do crime" --em que criminosos punem condutas indesejadas com a morte.

 Dois pelotões, com 40 policiais em dez carros, chegaram à chácara por volta das 16h30. Ao avistarem os policiais, seis suspeitos tentaram fugir em dois carros --um Pointer prata e um Corsa prata. Na perseguição, houve troca de tiros e quatro foram mortos e três presos.

Na chácara, cinco suspeitos morreram na troca de tiros e outros cinco foram presos. Entre os mortos, segundo o coronel, está o suspeito de estupro. França não soube dizer se ele foi morto no tiroteio ou pelos criminosos.

A polícia diz que foram três tiroteios distintos: os policiais se dividiram na perseguição dos dois carros e na abordagem dos que estavam na chácara.

Além dos suspeitos, uma menina de 12 anos --vítima do estupro-- sua mãe e um irmão estavam na chácara. Segundo França, eles estão sob proteção policial.

No local, a PM apreendeu duas espingardas calibre 12, uma metralhadora, sete pistolas, quatro revólveres, cinco veículos roubados e 20 kg de maconha, além de dinamite e uma granada.

A polícia diz ter identificado seis suspeitos --todos tinham ficha criminal. "Eles são integrantes de uma quadrilha organizada e a chácara teria sido alugada de um candidato a vereador de Várzea Paulista por um breve período como ponto de apoio para reuniões e armazenamento de armas e drogas", disse.

HOSPITAL

Em nota, a Prefeitura de Várzea Paulista informou que foram registradas nove mortes de pessoas não identificadas, trazidas ao Hospital da Cidade pela Rota. A prefeitura diz que "alguns desses indivíduos já chegaram sem vida ao local e que uma equipe médica foi mobilizada para atender as ocorrências, mas os eles não resistiram aos ferimentos".

O número de suspeitos que chegaram mortos não foi informado. Os corpos permanecem no hospital e ainda passam por perícia.

Segundo vizinhos ouvidos pela Folha, a chácara onde ocorreu o tiroteio era usada para festas com música alta até a madrugada, quase todos os fins de semana.

O terreno tem cerca de 2.000 m² e abriga uma casa de 250 m², recentemente construída. Segundo vizinhos, o preço do aluguel é de R$ 300 por dia. (ROGÉRIO PAGNAN E FELIPE SOUZA)

Autor: Redação

Fonte: Uol/Folha de SP