Polícia

Acusado de matar Bárbara tentou estuprar outra mulher no início do ano

24/09/2012 09h04
De acordo com depoimento, o caso ocorreu em janeiro deste ano.
Acusado de matar Bárbara tentou estuprar outra mulher no início do ano

O delegado Antonio Nunes informou na manhã desta segunda-feira (24), que uma mulher denunciou ter sido vítima de Otávio Cardoso da Silva Neto, 25, acusado no sumiço da comerciária Bárbara Regina, desaparecida deste o primeiro dia deste mês. A mulher procurou a polícia após a divulgação das imagens de Otávio, na última sexta-feira (21).
De acordo com depoimento, o caso ocorreu em janeiro deste ano. Otávio Cardoso teria agredido a vítima após ela se recusar a ir até um matagal em sua companhia, conforme as informações da polícia. Segundo a mulher, o estupro só não ocorreu porque ela conseguiu se livrar das agressões e correr pela rua. 
Para o delegado da Seção Antissequestro da Divisão Especial de Investigações e Capturas (Deic), é importante que outras pessoas procurem a Polícia Civil para denunciar ou liguem para o disque-denúncia 181. “Estamos tratando de uma pessoa perigosa, que já havia sido presa até com arma de fogo e, com esta nova denúncia, percebemos que podem ter outras vítimas de crimes cometidos por ele”, concluiu Antonio Nunes.
Na última sexta-feira (21), a polícia revelou que Otávio era o responsável pelo sumiço de Bárbara. Ele contou a um amigo que matou a jovem a punhaladas, desferidas na altura do peito, após tê-la enforcado. As afirmações foram passadas à Polícia Civil alagoana pelo amigo de Otávio, considerado foragido e que é investigado por outros crimes. Segundo a testemunha, o autor do crime é um “psicopata”, “louco por sexo”.
A polícia supõe que Otávio matou Bárbara porque ela se negou a ter relações sexuais com ele após os dois terem deixado a boate Le Hotel, às 3h09 da madrugada do sábado 1º de setembro. A prisão de Otávio, acusado de homicídio e ocultação do cadáver da jovem, já foi decretada pelo juiz da 10ª Vara Criminal da Capital, George Omena.
Otávio foi reconhecido através de sites que divulgam fotos de eventos – ele foi identificado em uma das imagens analisadas pela polícia, atrás de um casal. Gravações do circuito de câmeras de segurança do Le Hotel revelam que ele entrou na boate às 23h17 da noite da sexta-feira 31 de agosto.
A sua presença na casa de shows foi confirmada por um outro amigo, Ítalo Bruno, que é apontado como o chefe de uma quadrilha de roubo de carros e também estava na boate naquela noite. Por causa da sua relação com Ítalo, a polícia investiga se Otávio também fazia parte do grupo que praticava assaltos em Maceió.
Segundo o delegado que preside o inquérito, Antônio Nunes, Otávio fez uma ligação a uma pessoa conhecida no aparelho de Bárbara, no sábado (1º), por volta das 17h. "Ele colocou o chip no celular dela para fazer o telefonema", explicou.
“Já existem indícios suficientes nos autos que apontam a autoria do homicídio cometido por Otávio, seguido de ocultação de cadáver. Continuamos fazendo diligências para encontrar o acusado e localizar o corpo de Bárbara, que já é considerada morta”, informou o delegado Antônio Nunes.

Autor: Redação, com assessoria

Fonte: Tudonahora