Mundo

Vídeo - Filho do presidente do TRE do Rio é feito refém por bandidos

24/12/2011 23h18
Vídeo - Filho do presidente do TRE do Rio é feito refém por bandidos
 

 

O filho do presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, desembargador Luiz Zveiter, Rafael Zveiter, 19 anos, e Rogério Rangel, 50, herdeiro do grupo Plastigel, foram feitos reféns por três homens que invadiram condomínio na Praia de Icaraí, Niterói, às 3h de ontem. Rafael e Rogério ficaram em poder dos bandidos por aproximadamente uma hora e foram levados no carro de Rogério até uma favela de Pendotiba, Região Oceânica da cidade, onde foram libertados. De lá, eles caminharam até encontrar uma patrulha da Polícia Militar e pedir ajuda.

 

“Fui assaltado e largado em uma favela. Graças a Deus nada demais aconteceu! Que vida louca essa que estamos vivendo. Estou sem celular. E sem iPad”, postou Rafael no Facebook.

 

De acordo com o desembargador Zveiter, os bandidos entraram no prédio após renderem Rogério.

 

“Quando Rafael chegou de táxi, um dos criminosos estava escondido na portaria, enquanto os outros subiram com Rogério. Alertados pelo comparsa, que já ameaçava Rafael, os outros ladrões desceram com Rogério, deram uma coronhada no porteiro e falaram que o matariam porque ele acionara o portão da garagem sem querer, talvez por nervosismo”, disse o magistrado.

 

Delegado da 77ª DP (Icaraí), Mario Luiz da Silva, não quis dar informações sobre o episódio para não prejudicar as investigações, entretanto, já está com as imagens de câmeras de segurança do prédio. O material foi periciado pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE). Rafael ainda será chamado para prestar depoimento.

 

Calma evitou o pior, diz Rafael

De acordo com Rafael, que desabafou no Facebook, a calma foi fundamental para evitar o pior. “Os policiais elogiaram a maneira como eu soube conduzir os fatos. Tive sensibilidade para dialogar com os assaltantes. Fui iluminado por Deus!”, comentou ele na Internet.

 

“Meu filho argumentou que era Natal, que o rapaz tinha família e convenceu os bandidos”, detalhou Luiz Zveiter. “Não estou com raiva. Estou tenso, fiquei mais de uma hora com uma arma apontada para a minha cabeça”, escreveu o jovem.

Fonte: O Dia

 

Autor: Fábio Santana