Mundo

Vida de militares presos no Quartel Geral da PM era de total liberdade

21/12/2011 06h54
Vida de militares presos no Quartel Geral da PM era de total liberdade

A primeira reunião do Conselho Estadual de Segurança de Alagoas após os “arrastões” do Centro de Maceió foi secreta, tensa e cheia de controvérsias entre os participantes, mas em um ponto, como foi apurado pelo Cadaminuto, todos os participantes concordaram, alguma coisa tinha que ser feita em relação aos presos militares do Quartel Geral da PM, no Trapiche da Barra.

Por motivos oficiais, a transferência dos 20 militares que ali estavam para um módulo especial do presídio Baldomero Cavalcanti, conhecido como COC se deu pela falta de condições físicas do local para abrigar os presos, mas os motivos reais são sabidos por todos.

O tal Quartel Geral da PM, era tudo, menos uma prisão de verdade, os presos circulavam livremente, tinham a disposição celulares, notebooks e todo o tipo de equipamento eletrônico que fosse possível de ser levado.

Não havia qualquer restrição a visita, e a convivência entre militares que cometeram crimes mais graves e que estão sabidamente ligados ao crime organizado era nociva a outros que cometeram crimes menores, mas que acabavam sendo cooptados pelos “colegas”.

Paciência acabou

A paciência de todos que fazem a segurança acabou, quando ficou provado, para muito dos que participaram da reunião do Conselho, que alguns profissionais ligados aos que ali estão presos tem ajudado em maior ou menor escala na propagação de um clima de terror a população.

O pior é que, para a cúpula da segurança , alguns destes militares tinham livre acesso, para dentro do Quartel Geral da PM, comandar ações do crime organizado em Alagoas.

“Aquilo ali era uma festa, tinha cerveja, churrasco, visitas intimas e todo o tipo de liberdade inconcebível a quem cometeu os crimes que eles cometeram, e o que é pior, as vezes continuavam a cometer de lá de dentro” explicou uma autoridade que estava na reunião do Conselho ao Cadaminuto.

A transferência dos presos, apesar da oposição das associações militares que dizem que os militares serão mortos no Baldomero, será definitiva, e o módulo de prisão especial do Quartel Geral da PM deve chegar ao fim.

“Ali funcionava um dos mais ativos QG do crime organizado de Alagoas, em pleno coração da corporação, acabou” finalizou a autoridade ouyida pelo Cadaminuto.

Cada Minuto

 

Autor: Redacao I