Mundo

Morre coreógrafo e intérprete das lutas de Darth Vader em 'Star wars'

03/01/2012 05h17
Morre coreógrafo e intérprete das lutas de Darth Vader em 'Star wars'

O esgrimista britânico Bob Anderson, responsável por coreografias de lutas com espadas em filmes como “Guerra nas estrelas” e “O senhor dos aneis”, morreu na manhã deste domingo (1º), aos 89 anos, informou a Academia Britânica de Esgrima nesta segunda. Anderson, que despontou como competidor da modalidade olímpica e, durante cinco décadas, atuou no ramo cinematográfico como dublê e “diretor de lutas”, estava internado no English Hospital.

Ele vestiu o capacete negro de Darth Vader e empunhou o sabre de luz em dois dos três filmes originais da cinessérie “Guerra nas estrelas”, de George Lucas: “O império contra-ataca” (1980) e “O retorno de jedi” (1983). Inicialmente, porém, acreditou-se que o único intérprete do vilão, um dos mais famosos da história do cinema, havia sido o ator David Prowse – a famosa voz esteve a cargo de James Earl Jones. O nome de Anderon veio à tona em 1983, por obra do ator Mark Hamill, que dava vida ao protagonista, Luke Skywaler.

Em uma entrevista, ele disse que “Bob Anderson é o homem que, na verdade, atuou como Vader nas cenas de luta”. “Era para ser um segredo, mas eu finalmente disse ao [diretor] George [Lucas] que eu não achava mais aquilo justo”, declarou Hamill à revista “Starlog”. “Bob trabalhou tão duro que merecia algum reconhecimento. É ridículo manter o mito de que tudo foi obra de um único homem.”

Leon Hill, um ex-assistente de Anderson também teria comentado o assunto: “David Prowse não era muito bom com uma espada, e bob não poderia ensiná-lo os movimentos. Felizmente, Bob pôde vestir a fantasia e fazer isso ele próprio”.

Robert James Gilbert Anderson, que trabalhou com atores como Errol Flynn e Antonio Banderas, nasceu em Hampshire, no sul da Inglaterra, em 1922 e começou a praticar esgrima ainda muito novo. “Eu nunca peguei a espada”, ele disse em uma entrevista para o documentário “Reclaiming the Blade”. “Eu acho que a escada que me pegou.”

Anderson entrou para a marinha real antes da Segunda Guerra, ensinando esgrima a bordo de navios e ganhando diversos títulos no esporte. Ele serviu no mar Mediterrâneo durante a guerra e depois trabalhou como técnico e representou a Grã-Bretanha nas Olimpíadas de 1952 e nos campeonatos mundiais de 1950 e 1953.

Nos anos 1950, Anderson tornou-se técnico da equipe nacional britânica, posto que ocupou até o final da década de 1970. Depois, ele trabalhou como diretor técnico da Associação Canadense de Esgrima.

Sua primeiro contribuição para o cinema foi preparando Flynn para o filme “The Master of Ballantrae”, em 1952. Ele passou a ser procurado pela indústria cinematográfico depois de suas performance como dublê, coreográfico e “mestre de espada” em produções como os filmes de James Bond “Moscou contra 007” (1963) e “Um novo dia para morrer” (2002), “A princesa prometida” (1987), “A máscara do Zorro” (1998) e “A lenda do Zorro” (2005), estrelados por Banderas, e a trilogia “O senhor dos aneis”.

O presidente da Academia Britânica de Esgrima, Philip Bruce, disse que Anderson era “realmente um de nossos quatro maiores mestres de esgrima e um dos mais qualificados coreógrafos e diretores de lutas”. Anderson deixa mulher e três filhos.

 

G1

Autor: Fábio Santana