Mundo

Jovem baleada volta atrás e admite ter disparado o tiro

29/12/2011 05h18
Jovem baleada volta atrás e admite ter disparado o tiro

Rio - Adriene Cyrilo Pinto, 20 anos, confessou ontem ter mentido. Ela havia dito primeiro que o jogador Adriano era o responsável pelo tiro que atingiu sua mão esquerda sábado de manhã, quando seguia de carona na BMW do atleta após sair de uma boate na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Ontem, contou ter ela mesma disparado acidentalmente a pistola que estava no carro. Em seu primeiro depoimento, disse que Adriano estava, no banco traseiro, brincando com a arma.

A confissão foi feita após participar, com Adriano e outras três pessoas que estavam no carro, de uma acareação e uma reconstituição do acidente na 16ª Delegacia Policial, na Barra da Tijuca.

"Depois da reconstituição, ela admitiu que pegou a arma no chão do carro e que disparou sem querer. Ela chorou e disse que estava arrependida, que ficou perdida no meio da confusão e por isso deu aquela versão", disse o delegado Fernando Reis, responsável pelo inquérito.

Segundo o delegado, Adriene contou que havia bebido bastante na boate. O delegado disse ainda que Adriano mostrou-se aliviado quando ouviu a confissão.

A acareação e a reconstituição duraram quase cinco horas. Por cerca de meia hora, o corintiano ficou dentro de sua BMW com Adriene, o tenente da PM reformado Julio Cesar de Oliveira, que dirigia o carro, e com duas das outras três mulheres que o acompanhavam, Andreia Ximenes e Viviane Faria.

Segundo o delegado, mesmo com a confissão, o inquérito não está concluído. Ele vai aguardar o resultado do exame para detectar a presença de pólvora nas mãos de Adriane e do jogador.

Ela poderá ser enquadrada por crime de denunciação caluniosa, com pena de dois a oito anos de prisão.

 

Folha de S.Paulo

 

Autor: Redacao I