Mundo

Embaixada do Brasil no Haiti avalia como dar assistência a menores brasileiros deportados dos EUA

28/09/2021 18h19
Itamaraty informou que foi comunicado sobre a existência dos menores por Organização Internacional para as Migrações
Embaixada do Brasil no Haiti avalia como dar assistência a menores brasileiros deportados dos EUA

O governo brasileiro avalia a melhor forma de dar assistência às trinta crianças com cidadania brasileira que foram deportadas pelos Estados Unidos para o Haiti em meio à grave crise de migração que levou cerca de 15 mil haitianos à cidade texana de Del Rio, na fronteira com o México, nos últimos dias.

Procurado pelo g1, o Itamaraty diz que foi comunicado pelo Escritório da Organização Internacional para as Migrações (OIM) no Haiti sobre a existência desses menores com passaporte brasileiro dentre os milhares de haitianos que recentemente foram deportados.

“A Embaixada do Brasil em Porto Príncipe está em contato com a OIM, com vistas a analisar a situação desses menores e de seus responsáveis legais, todos cidadãos haitianos, a fim de prestar-lhes a assistência cabível”, afirma ainda a resposta do Itamaraty.

As crianças brasileiras têm, em sua maioria, até três anos de idade e estavam acompanhadas pelos pais haitianos, com quem fizeram a jornada para sair do Brasil e atravessar as Américas do Sul e Central até chegar à divisa entre México e EUA há pouco mais de uma semana, segundo informou matéria da BBC.

Além dos 30 menores de idade brasileiros deportados, 182 crianças chilenas estão na mesma condição.

Segundo a Constituição Federal, por terem nascido em território do Brasil, mesmo que de pais estrangeiros, os filhos dos haitianos são também considerados brasileiros natos. E por isso eles detinham apenas documentação brasileira ao serem encontrados e deportados pelos americanos.

Autor:

Fonte: G1