Geral

Senado deve barrar PEC dos precatórios

26/10/2021 07h52
A PEC dos Precatórios, que prevê driblar o teto de gastos para financiar o Auxílio Brasil, bandeira de Bolsonaro, deve ser barrada no Senado após o rechaço do mercado, avaliam líderes partidários.
Senado deve barrar PEC dos precatórios

A PEC dos Precatórios, que prevê driblar o teto de gastos para financiar o Auxílio Brasil, bandeira de Bolsonaro, deve ser barrada no Senado após o rechaço do mercado, avaliam líderes partidários.

Líderes partidários e técnicos dizem que, como está, a PEC dos Precatórios não deverá passar no Senado. Aprovada em comissão da Câmara na semana passada, a proposta propõe drible no teto de gastos para garantir mais recursos no Orçamento e viabilizar o plano do governo de elevar a R$ 400 o Auxílio Brasil, que substituirá o Bolsa Família. Políticos avaliam que a reação negativa do mercado ao texto, que viu na ideia uma burla ao ajuste fiscal, mudou o cenário, que antes era positivo para a PEC.

GELO FINO Na Câmara, a ideia de Arthur Lira (PP-AL) é levar o texto à análise do plenário ainda nesta semana. O assunto mexeu na bolsa e no dólar e deixou Paulo Guedes (Economia) em situação delicada.

QUAL É Há pressão em cima do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para que ajude a aprovar a medida. Guedes e Lira têm feito críticas ao mineiro, por causa da situação da reforma do Imposto de Renda, que não andou.

NÃO TEM TU... Líderes do centrão e membros do mercado financeiro afirmam que a permanência de Paulo Guedes como ministro da Economia se dá só por falta de um plano B.

...VAI TU MESMO Auxiliares de Bolsonaro fizeram intensa busca por um substituto durante a semana passada, mas não conseguiram chegar a um nome considerado adequado.

BALANÇO Como um dos seus últimos atos como corregedor-geral do Tribunal Superior Eleitoral, Luis Felipe Salomão deixou um relatório parcial no inquérito aberto para investigar Jair Bolsonaro por ataques ao sistema eleitoral. Ele resume tudo que foi feito durante seu tempo à frente do caso e pede manifestação do Ministério Público Eleitoral.

MENU O ministro lista cinco frentes de apuração abertas por sua decisão: a live do presidente contra as urnas eletrônicas, a desmonetização de blogs e sites que espalham notícias falsas, os ataques ao sistema eleitoral no 7 de setembro, possível ingerência política na EBC e investigação das motociatas por suspeita de propaganda antecipada.

AJUDA No documento, ele solicita a Alexandre de Moraes, do STF, o compartilhamento de provas colhidas nas apurações de fake news e milícias digitais, que miram bolsonaristas. Salomão ainda pede posicionamento da Polícia Federal sobre as investigações relacionadas em andamento e seus desfechos.

REVOLTA Para Carlos Lula, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), a live em que Jair Bolsonaro leu uma suposta notícia que alertava que “vacinados [contra a Covid] estão desenvolvendo a síndrome da imunodeficiência adquirida [Aids]” foi absurda, trágica, falsa, mentirosa e grotesca.

LISTA “Mais do que isso, ela impõe um ônus aos portadores de HIV. Mais um capítulo lamentável dessa sucessão de absurdos do presidente durante a pandemia”, completa Lula, que é secretário de Saúde do governo do Maranhão.

FORA Na noite desta segundafeira (25), o YouTube tirou do ar o vídeo com a live e impôs suspensão de uma semana à conta de Bolsonaro. Durante esse período ele não conseguirá publicar novos vídeos ou fazer transmissões.

3 STRIKES “Removemos um vídeo do canal de Bolsonaro por violar as nossas diretrizes de desinformação médica sobre a Covid-19 ao alegar que as vacinas não reduzem o risco de contrair a doença e que causam outras doenças infecciosas”, disse o YouTube, em nota. Caso Bolsonaro repita a infração, a suspensão será de duas semanas. Uma terceira suspensão em 90 dias implica em fechamento do canal.

SEM RÉ Wallace Landim, conhecido como Chorão, um dos líderes da greve de 2018 dos caminhoneiros e que segue como representante da categoria, afirma que não há chance de recuo em relação à paralisação marcada para segunda (1º) se não houver sinalização do governo Bolsonaro sobre mudança na política preços de combustíveis da Petrobras.

OPOSTO Nesta segunda-feira (25), em movimentação contrária, a Petrobras anunciou novos reajustes nos preços da gasolina e do diesel em suas refinarias. Chorão diz que está conversando com representantes de outras categorias, como motoristas de app, para engrossar a mobilização.

Presidente de BC ‘independente’ que liga a banqueiro para definir taxa de juros é como a jabuticaba: uma exclusividade nacional

De Elvino Bohn Gass (RS), líder do PT na Câmara, sobre áudio em que André Esteves, dono do BTG, relata conversa com Roberto Campos Neto

Autor:

Fonte: pressreader.com/Folha de S.Paulo