Geral

Pouco afetado pela crise, Brasil atrai estrangeiros à procura de emprego

28/08/2012 05h41
Quase 33 mil estrangeiros obtiveram vistos para trabalhar no Brasil neste ano. Uma das responsáveis é a crise na Europa e nos Estados Unidos
Pouco afetado pela crise, Brasil atrai estrangeiros à procura de emprego

O número de estrangeiros que vêm trabalhar no Brasil bateu recorde no primeiro semestre. Foram quase 33 mil vistos concedidos pelo Ministério do Trabalho até junho. E a área que mais atrai profissionais de fora é petróleo e gás.
O que a vinda de Seedorf e Lodeiro para o Botafogo e o show de Roger Waters têm em comum? Além do estádio do Engenhão, onde Seedorf e Lodeiro jogam e Waters e sua equipe de técnicos montaram o espetáculo, todos precisaram de permissões especiais para trabalhar no país.
Desde 2005, vem crescendo o número de pedidos de vistos de trabalho pra estrangeiros no Brasil. Mas agora, com a crise econômica na Europa e nos Estados Unidos, o país se tornou muito mais atraente para os profissionais que vêm lá de fora.
De janeiro a junho deste ano, quase 33 mil estrangeiros obtiveram vistos para trabalhar no Brasil: 25% a mais do que no mesmo período do ano passado.
“O estrangeiro só vem à medida que uma determinada atividade, uma determinada tarefa, não possa ser desempenhada por um trabalhador brasileiro. Eles são necessários para a expansão de determinados setores da nossa economia, para execução de determinados projetos do interesse do nosso país”, explica Paulo Sérgio de Almeida, coordenador de imigração do Ministério do Trabalho.
A maioria dos estrangeiros vem para trabalhar a bordo de embarcações ou nas plataformas de petróleo e gás. Especialistas em assistência técnica de equipamentos importados estão em segundo lugar. Artistas e desportistas em terceiro.
Entre as nacionalidades, os americanos são maioria. Como Jonathan, que há quatro meses está em Macaé, no norte do Rio de Janeiro. Foi atraído pelas oportunidades oferecidas pelo setor de petróleo, pelo clima e pelas praias.
Uma empresa de consultoria e logística tem quatro estrangeiros na equipe. Todos selecionados por ter um currículo que chamava a atenção.
“Vem aumentando esse número de currículos estrangeiros. E chegam aqui com bastante vontade. Eu acho que o Brasil está muito em evidência lá fora, e é quase um sonho vir trabalhar no Brasil hoje”, afirma Leonardo Costanza, diretor-executivo.
O administrador de empresas Dinart Camacho veio da Ilha da Madeira, Portugal. Chegou ao Brasil há dois anos. Depois de vencer a burocracia para obter o visto, vê o Brasil como uma terra de oportunidades.
“É um mercado bem competitivo, bem apelativo e bem entusiasta, porque está, como o próprio brasileiro diz, está pipocando, está muita coisa a surgir ao mesmo tempo. O Brasil é um país acolhedor, as pessoas recebem muito bem, e eu acho que essa vontade de chegar e sentirmos isso”, afirma.

Autor: Redação

Fonte: Bom Dia Brasil