Geral

Pesquisas eleitorais

31/08/2012 04h09
Os números não mentem jamais. Porém podem ser induzido
Pesquisas eleitorais

Por ter militado na área das exatas durante trinta e quatro anos seguidos lecionando Física, e, em parte desse tempo Matemática em Maceió, jamais poderia desconfiar dos números ou da pesquisa. Contudo, da metodologia, forma de pesquisa, locais pesquisados e da maneira pesquisada – induzida ou não – se pode analisar de várias maneiras os resultados.
Quando me refiro no título da matéria ao “efeito borboleta” estou baseando-me no histórico de acontecimentos sobre o tema; Lessa era o primeiro em todas as pesquisas quando candidato a senador. Perdeu para Collor. Lessa era o primeiro colocado nas pesquisas quando candidato a governador; perdeu para Téo que era o terceiro colocado no primeiro turno e, repetiu-se a dose no segundo turno.
Március era o primeiro colocado nas pesquisas nas eleições 2008. Perdeu para Alexandre que sempre aparecia nas pesquisas comentadas ou apresentadas por Beltrão.
A pesquisa tem sua relevante importância na campanha de qualquer candidato que encare a disputa eleitoral como coisa seria. Mas, jamais deve ser instrumento de manipulação das massas por se tratar de autoengano.
Portanto, reafirmo não desconfiar em momento algum de uma pesquisa divulgada pelo portal de notícias Cadaminuto e, por nós Correio do Povo, divulgada, muito embora salientemos a razoabilidade da maneira de como foi pesquisada e com quais intenções.

Autor: Por Raul Rodrigues

Fonte: Correio do Povo de Alagoas