Geral

Francisco Tenório a deixar de usar tornozeleira eletrônica

05/09/2012 14h28
Decisão é da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça
Francisco Tenório a deixar de usar tornozeleira eletrônica

 A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Alagoas decidiu, em sessão realizada nesta quarta-feira (05), que o ex-deputado federal Francisco Tenório deixará de usar a tornozeleira eletrônica. A decisão foi por meio de um Habeas Corpus concedido pela maioria dos desembargadores.

O HC contempla ainda a autorização para Tenório deixar Maceió, o que não era permitido desde que ele saiu da prisão sob a condição de cumprir medidas cautelares. Mas, outro pedido feito pela defesa do ex-parlamentar não foi acatado. Os advogados pediam que Tenório voltasse a ocupar a função de delegado da Polícia Civil, o que foi negado.

De acordo com o desembargador José Carlos Malta Marques, que opinou contra a retirada da tornozeleira, Orlando Manso, Bandeira Rios e Otávio Leão Praxedes votaram para que Tenório pudesse circular sem o monitoramento eletrônico. Manso votou também a favor da volta do ex-deputado para o cargo de delegado.

O relator do caso foi o desembargador Edvaldo Bandeira Rios.

O caso

Francisco Tenório foi preso no dia 02 de fevereiro do ano passado, em Brasília, por agentes da Polícia Federal. O mandado de prisão foi expedido pelas 7ª e 17ª Varas Criminais. O ex-parlamentar foi acusado de ser o autor intelectual do assassinato do o ex-cabo da PM José Gonçalves da Silva Filho, ocorrido em 1996. Ao chegar a Maceió, Tenório foi levado para a Casa de Custódia, de onde foi transferido para o presídio Baldomero Cavalcanti, no mês de janeiro.

Dias após ter sido preso, o ex-deputado foi citado pelo Ministério Público pelos assassinatos de Cícero Sales Belém e José Alfredo Raposo Tenório Filho, crime ocorrido em novembro de 2005, na Avenida Durval de Góes Monteiro, no Tabuleiro. Ele foi denunciado por duplo homicídio qualificado e formação de quadrilha armada.

No dia 16 de fevereiro desse ano, Tenório foi posto em liberdade com a condição de ser monitorado eletronicamente.

Autor: Teresa Cristina

Fonte: cadaminuto