Geral

Após ser deflagrada a Operação Jackpot, a Polícia Civil acredita que o grupo de Cachoeira ficou enfraquecido

24/08/2012 09h55
as máquinas caça-níqueis reconheciam notas de até R$ 100
Após ser deflagrada a Operação Jackpot, a Polícia Civil acredita que o grupo de Cachoeira ficou enfraquecido

Após ser deflagrada a Operação Jackpot, a Polícia Civil acredita que o grupo de Cachoeira ficou enfraquecido. Segundo o chefe da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Deco), delegado Henry Peres, o rendimento nos bingos chegava a cerca de R$ 10 mil por dia. As apostas eram altas, já que as máquinas caça-níqueis reconheciam notas de até R$ 100. Pelo menos sete pontos eram mantidos em Sobradinho II, Ceilândia, Gama e até mesmo na Área Central de Brasília, como o Lago Norte e as asas Sul e Norte. Peres e Fernando Cocito investigavam o grupo de Cachoeira há seis meses.
De acordo com Henry, a Polícia Civil não tem dúvidas que Carlinhos Cachoeira sabia do esquema desbaratado pela Deco esta manhã. "Se os subordinados faziam essa atividade, o chefe com certeza sabia", disse Peres. Ao longo das investigações, policiais da Deco apreenderam R$ 8,9 mil e U$ 2 mil. Desde a prisão de Carlinhos Cachoeira, em fevereiro, 80 caça-níqueis já foram apreendidos. Não há dúvida, segundo os delegados, que o grupo migrou para Brasília após a Operação Monte Carlo, da Polícia Federal. Os clientes permaneceram os mesmos, em sua maioria idosos. Mas, diferente do que ocorria em Goiás, aqui, os apostadores não chegavam aos bingos em carros particulares. Motoristas do grupo buscavam os clientes em casa. Apenas os veículos do bando circulavam pelos pontos de jogatina. Em alguns bingos desativados no DF, os policiais localizaram objetos de casas de jogos ilegais que funcionavam no Entorno do DF.
Dos cinco mandados de prisão temporária, válidos por cinco dias, apenas três foram cumpridos. Raimundo Washington foi preso no Sudoeste, Otoni Queiroga no Jardim Botânico e Bruno Gleidison no Gama. Antônio José Sampaio Naziozeno e Edvaldo Ferreira Lemos continuam foragidos. Os presos devem responder por formação de quadrilha, crime contra a economia popular, contravenção penal de jogo de azar e lavagem de dinheiro.

Autor: Kelly Almeida

Fonte: correio brasiliense