Geral

ANS questiona 85 médicos e 100 pacientes sobre procedimentos da Prevent Senior

24/09/2021 17h20
Diligências fazem parte das duas apurações abertas na agência sobre o plano de saúde. CPi da Covid investiga irregularidades da Prevent Senior, como ocultação de óbitos em testes com remédios ineficazes.
ANS questiona 85 médicos e 100 pacientes sobre procedimentos da Prevent Senior

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) cobrou respostas de 85 médicos sobre os procedimentos da operadora Prevent Senior, alvo de investigação na CPI da Covid e de duas apurações na ANS. A agência também entrou em contato com cerca de 100 pacientes.

As novas diligências são um desdobramentos da investigação interna sobre a autonomia dos médicos e a falta de informações aos pacientes.

A CPI apura denúncia de que a Prevent omitiu óbitos de pacientes em testes sobre remédios já comprovadamente ineficazes contra a Covid. E de que os pacientes foram usados como cobaias humanas.

A comissão também investiga se os estudos conduzidos pelo plano de saúde resultaram de um acordo com o governo federal. O presidente Jair Bolsonaro é um defensor dos medicamentos ineficazes.

A ANS tomou as seguintes medidas:

 

  • realização de diligência in loco na sede da Prevent Senior, no dia 17 de setembro
  • já foram realizadas ligações para 100 beneficiários identificados em documentos recolhidos na operadora como pacientes que receberam o “kit covid” (remédios ineficazes)
  • envio de ofício para 5 médicos sobre a prescrição d “kit covid”
  • envio de ofícios para 85 prestadores médicos que trabalham ou trabalharam no atendimento da linha de frente para os atendimentos aos pacientes com Covid. A ideia é notificar o maior número possível de médicos, inclusive profissionais demitidos da Prevent Senior, para verificar se houve restrição na atividade profissional

 

Termina hoje o prazo para o envio de respostas à ANS. A depender do resultado da análise de toda a documentação, mais apurações e fiscalizações podem ser realizadas.

A ANS também pediu informações à CPI que possam colaborar com as investigações da agência.

Autor: Camila Bomfim, GloboNews

Fonte: g1.globo.com