Geral

Aécio Neves usa mensalão para responder ataque de Lula

02/09/2012 05h30
Em comício em Belo Horizonte, ex-presidente criticou administração rival no Estado
 Aécio Neves usa mensalão para responder ataque de Lula

O ex-governador e senador Aécio Neves (PSDB), principal cabo eleitoral do prefeito Marcio Lacerda (PSB), citou neste sábado, 1, o julgamento do mensalão para responder aos ataques do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva feitos na véspera, durante comício da campanha do candidato do PT, Patrus Ananias, na capital mineira. O tucano disse que o PT se apropria de recursos públicos como se fossem do partido e fez referência ao entendimento dos ministros do Supremo Tribunal Federal de que houve desvio de dinheiro federal em operações do Banco do Brasil com a agência DNA,do publicitário Marcos Valério, um dos cinco réus condenados até agora. Também foram considerados culpados,entre outros, o deputado federal João Paulo Cunha (PT) e o ex-diretor do BB Henrique Pizzolato, ligado ao partido.

"O PT se apropria de empresas públicas, como fez e agora está comprovado pelo STF em relação ao Banco do Brasil. Uma vergonha, uma instituição secular, símbolo do Brasil, atender a interesses do partido. É um problema grave do PT: tem muita dificuldade em separar o que é público do que é privado", disse Aécio, ao lado de Marcio Lacerda, antes de iniciar uma carreata com o prefeito que passou por 40 pontos da Avenida do Contorno, que no passado marcou os limites da cidade.

A carreata foi programada como um contraponto ao ato público de Patrus, com a presença de Lula, na noite de sexta-feira, 31. No primeiro comício de que participou na campanha, Lula disse que Marcio Lacerda só estava no poder por causa da aliança firmada em 2008 com o PT e citou que a maior parte das obras em Minas Gerais e na capital tinha investimentos federais ou empréstimos do BNDES. Lula afirmou que o Estado de Minas Gerais "está quebrado" e que o PSDB e PSB querem "destruir" o PT.

Aécio, depois de exaltar a recuperação de Lula, após o tratamento contra o câncer de laringe, disse que o ex-presidente ficou muito tempo afastado de Minas Gerais e está mal informado. "O PT tem viés equivocado ao analisar a questão do investimento, porque trata recursos públicos como se fossem seus. Dinheiro federal,dinheiro estadual é o que menos importa, é dinheiro do povo, são impostos que todos nós pagamos", disse o ex-governador. Sobre o fim da aliança PT-PSB-PSDB na capital mineira, o tucano afirmou que os petistas é que têm que dar explicações. "Estamos onde sempre estivemos, ao lado do Marcio, independente da questão partidária. O problema do PT é que o objetivo do partido sempre prevalece sobre o objetivo da sociedade", atacou o senador.

O prefeito candidato à reeleição disse que seguiria o conselho que Lula deu a Patrus na noite de quinta-feira, 30, de não revidar possíveis ataques dos adversários. "Vou seguir o conselho que ele (Lula) deu ao nosso adversário e não vou responder às agressões e acusações que aconteceram ontem. Temos em Belo Horizonte muitas obras com recursos repassados pelo governo do Estado, temos empréstimos da Caixa, do BNDES, que são instituições do povo brasileiro, de Estado e não de governo", disse Lacerda.

Patrus. Também na manhã desta sábado, 1, o petista Patrus Ananias comemorou a passagem de Lula por Belo Horizonte. "O comício certamente vai ter desdobramentos na nossa militância", afirmou Patrus, que está 16 pontos atrás de Marcio Lacerda, segundo o último Datafolha (46% a 30%). O candidato contou que o ex-presidente, ao se despedir, no aeroporto, o estimulou. "Põe o pé no acelerador que nós vamos ganhar a eleição", disse Lula, segundo Patrus.

Autor: Luciana Nunes Leal

Fonte: Estadão.com.br/O Estado de S.Paulo