Esportes

Renato rasga elogios a Andreas e ao Flamengo: "Foi uma atuação de gala nos primeiros 45 minutos"

14/10/2021 06h46
Treinador acredita que adversários vão pensar mais antes de cometer faltas contra o clube após golaço do camisa 18: "É mais uma jogada mortal que temos"
Renato rasga elogios a Andreas e ao Flamengo: "Foi uma atuação de gala nos primeiros 45 minutos"

Desde que chegou ao Flamengo, Renato Gaúcho tem adotado um tom mais cauteloso em suas entrevistas, mas após o 3 a 1 sobre o Juventude, nesta quarta-feira, no Maracanã, ele não mediu as palavras na hora dos elogios. Principalmente para o desempenho do time no primeiro tempo.

Para o comandante rubro-negro, o que ele viu nos primeiros 45 minutos, em que o Flamengo abriu 3 a 0 de vantagem, foi uma atuação de gala. Renato acredita que a queda de rendimento na segunda etapa foi algo natural.

- Falei uma coisa no intervalo do jogo e nem deveria dizer agora: foi uma atuação de gala nos primeiros 45 minutos. E nem temos o entrosamento de uma equipe que joga partidas seguidas. O único problema no segundo tempo foi termos nos acomodado um pouquinho no placar. Quando ficamos sem o Pedro e Kenedy, a falta de entrosamento pesou bastante. No intervalo, pedi a mesma determinação, mas é uma coisa normal em qualquer clube depois que faz um placar elástico. No fim, conseguimos mais três pontos e estamos na luta - disse Renato.

Renato também elogiou muito a atuação de Andreas Pereira. Para ele, os adversários vão pensar mais antes de cometer faltas perto da área após a cobrança perfeita do camisa 18 . O meio-campista ainda colocou uma bola no travessão em outra cobrança.

- É um jogador diferenciado. Ele tem uma batida na bola muito boa. E isso vai nos ajudar bastante. Além dele ter feito um golaço de falta, pela trajetória da bola, ele colocou outra no travessão. É importante ter esse jogador em campo porque preocupa o adversário. O adversário vai pensar sempre duas vezes perto da área. É mais uma jogada mortal que temos treinado bastante. É lógico que o importante é o jogador saber bater na bola. O Arrascaeta e o Everton Ribeiro vinham batendo bem. É importante ter um jogador que bate bem, é uma jogada a mais, uma qualidade a mais.

Com a vitória, o Flamengo chega aos 45 pontos, segue na segunda colocação e 11 pontos atrás do líder Atlético-MG - o Rubro-Negro tem dois jogos a menos que o Galo. O time volta a campo no próximo domingo, pela 27ª rodada do Brasileirão, às 20h30, quando recebe o Cuiabá no Maracanã.

Outros trechos da entrevista de Renato:

 

Qualidade ofensiva

- Sempre elogiei e sempre vou elogiar meu grupo. Temos jogadores nas seleções, no departamento médico, e Vitinho, suspenso. Se está no grupo do Flamengo é porque tem qualidade. Quando a oportunidade chega, tem que aproveitar. Todos têm dado conta do recado. Podem achar que o Flamengo não é tão forte com eles, mas estamos em busca dos títulos das três competições. Somos os únicos. A cada três dias temos uma decisão e precisamos vencer. E com todos os problemas.

Fim de mais um tabu

- Feliz de termos quebrado mais esse tabu. Já participei de vários jogos no Maracanã como jogador, como treinador, e me lembro do Zico fazendo esse tipo de gol de falta. Do Roberto Dinamite também. E hoje foi um golaço. De placa. Nós treinamos quase que diariamente, e sabíamos que mais cedo ou mais tarde a bola iria entrar. Ganhamos mais uma jogada, mais uma preocupação para o adversário.

Kenedy 1

- O Kenedy me surpreendeu. Há muito tempo que ele não começava uma partida. Venho trocando ideias com ele, estou soltando ele aos poucos. Fiquei feliz pelo gol que ele fez também. Um gol bonito também. Fez uma boa estreia começando uma partida. Sabia que ele não iria aguentar os 90 minutos. Falei que ele ia começar o segundo tempo e quando ele não aguentasse mais pediria para sair. Nosso combinado foi lá pelos 15, foi o que ele pediu. É sempre um jogo difícil pegar equipes que estão brigando pelo título e também pelo rebaixamento. Sabíamos que seria um jogo difícil. Mas eu acho que o grupo está de parabéns, competiu bastante e criou oportunidades. Enfim, conseguimos o objetivo que era os três pontos.

Kenedy 2

- A chave é conversar, trocar ideias. Muito tempo que não jogava. Lá fora chegou a atuar em outras posições. Tivemos muito cuidado porque todas as semanas ele reclamava de dores musculares. Eu estava colocando aos poucos para poder prepará-lo. Depois dos jogos, ele ficava com a perna pesada. Não sei se tem relação com a Covid. Ontem conversei com ele ontem, perguntei se estava com confiança. Ele falou que estava se sentindo bem, pediu para jogar. Fiquei feliz com o que apresentou, não só com o gol. Lutou, brigou... Claro que ainda não está 100%, mas aos poucos vamos contornando. Vai nos ajudar bastante.

Padrão de jogo

São não vê que o Flamengo tem padrão de jogo quem não quer ou quer tumultuar o ambiente. O Flamengo se apresenta tão bem e ainda acham algo para criticar. Não temos um time perfeito, mas todos os jogadores que entram sabem perfeitamente o que precisam fazer.

Andreas Pereira

- Ele vindo da Europa é uma outra escola, um outro estilo. Mas o próprio jogador se ajuda quando tem essa qualidade. Nasce com o dom e depois aperfeiçoa. Ele é diferenciado na parte tática e para bater na bola. Quem ganha com isso é o Flamengo, que fez uma grande contratação.

Saldo da Data Fifa

- Eu costumo dizer que tenho um grupo, que não tenho um time de 11 jogadores. O que falta às vezes é o entrosamento. Todos os jogos mudamos. Não estou me queixando, é por isso que temos um grupo forte. A diretoria está de parabéns. É importante o torcedor entender também que vamos ter essas dificuldades de entrosamento. Mesmo assim estamos respondendo bem.

Olho nas Eliminatórias

- Eu sou brasileiro e sempre vou torcer pelo Brasil. Se eles (Gabigol e Everton) jogarem, que não se machuquem. Se vão jogar é com o Tite, que é bem pago para pensar. Esse é um problema dele. Espero que se jogarem não se machuquem. Quanto mais opções eu tiver, melhor para o Flamengo.

Cuiabá, o próximo adversário, e o técnico Jorginho

- Feliz pelo sucesso dele no Cuiabá, que vem muito bem. Me dou muito bem com o Jorginho, e nos entendíamos muito bem em campo. Feliz de ver um ex-companheiro tendo sucesso. Vou sempre torcer para ele, menos no domingo, que sou Mengão.

Autor:

Fonte: globoesporte.globo.com