Esportes

Presidente do Sport rebate dirigente do Grêmio que falou em favorecimento da CBF ao Leão

13/10/2021 17h14
Vice-presidente jurídico do Tricolor diz que entidade "acobertou" o Rubro-negro, após emissão de parecer em que diz não haver irregularidade do zagueiro Pedro Henrique; Yuri Romão retruca
Presidente do Sport rebate dirigente do Grêmio que falou em favorecimento da CBF ao Leão

A CBF emitiu um parecer - após ser acionada pelo Sport - em que diz não haver irregularidade na escalação do zagueiro Pedro Henrique. Mas o posicionamento da entidade desagradou a diretoria do Grêmio - que está entre os nove clubes responsáveis por acionar o Leão no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

O vice-presidente jurídico do Tricolor, Nestor Hein, sugeriu favorecimento da CBF ao Sport. E disse que a ação no STJD tem como objetivo defender os interesses do Grêmio, em entrevista ao portal GZH.

- A CBF acobertou o erro do Sport. Já era esperado, mas tínhamos que fazer a representação, por proteção do clube, defendendo os nossos interesses. Imagina se chega na última rodada, ficamos a um ponto do Sport ou pelo saldo de gols. Conhecemos bem a CBF. O Grêmio tem que sair da situação jogando futebol, não dependendo de outras coisas.

O posicionamento teve repercussão. Até porque - apesar do parecer positivo da CBF -, o caso ainda está sob análise da Procuradoria da Justiça Desportiva. O órgão avalia a notícia de infração enviada e decide se oferece uma denúncia ao STJD.

Após a manifestação do dirigente gremista, o presidente do Sport - Yuri Romão - respondeu a acusação e voltou a reforçar o ponto de vista adotado pelo clube.

- Comentário infeliz. A CBF não acobertou nada. O próprio regimento, que todos os 20 clubes assinaram, é que diz aquilo. A gente não tem gestão sobre a CBF. É um comentário infeliz da parte dele. O regimento da competição é que dá cobertura para a CBF enviar aquele ofício. Não tem outra verdade. No calor das coisas, usaram esse termo. Mas a CBF não acobertou nada.

O Sport baseia a defesa do clube no fato de que o Regulamento Específico da Competição (REC) entende como "atuação" o ato de entrar como titular ou saindo do banco no decorrer da partida. Neste caso, Pedro Henrique só teria disputado cinco partidas pelo Internacional - abaixo do limite de sete (também estipulado no regulamento).

A CBF - por sua vez - emitiu um parecer em que diz considerar a atuação de Pedro Henrique em cinco partidas (assim como o Sport) e afirma que o REC sobrepõe o Regulamento Geral da Competição (RGC) nesse caso.

O Regulamento Geral é justamente o texto que embasa a denúncia dos nove clubes da Série A. As equipes pedem a perda de 17 pontos ao Sport, com base no Artigo 43 do RGC - que também considera as advertências enquanto reserva como atuação.

Isso porque além das cinco partidas disparadas pelo Internacional, Pedro Henrique recebeu cartão amarelo no banco em outras duas. Os times envolvidos na denúncia são América, Atlético-GO, Bahia, Ceará, Chapecoense, Cuiabá, Grêmio, Juventude e Santos.

Autor:

Fonte: g1.globo.com