Esportes

Penedense perde mais uma partida, segunda derrota em casa e complica caminhada 2012

25/01/2012 21h51
Penedense perde mais uma partida, segunda derrota em casa e complica caminhada 2012
Mesmo jogando bem, não foi um time covarde ou inoperante, o time do Penedense que se encontra em fase de construção de uma equipe titular e competitiva, foi derrotado pelo rápido, eficiente, tático e, tecnicamente bem definido escrete do CRB. O Penedense bem que tentou; mas com um plantel que não se repete, com atletas que mal chegam e são obrigados a jogar e, diante de uma correria que é o campeonato alagoano deste ano, com jogos toda quarta e todo domingo, é impossível se querer que o impossível seja nosso aliado. A formação do escrete alvirrubro deveria ter começado ainda em dezembro. Não começou. Erro que mostra as suas consequências agora. Não nos interessa culpados. Nós temos é que resolver o problema. As primeiras contratações até que inspiravam certa tranquilidade; mas os melhores atletas contratados foram embora. Falta de planejamento. Arrumar a casa faltando dias para o começo da competição é pedir esmola prá dois! Hoje a realidade do Penedense sinaliza para uma possível melhoria com a chegada de novos e melhores jogadores. Mas esta realidade só acontecerá a partir de domingo. É desesperadora a situação atual? Ainda não. Entretanto não se pode deixar de pensar que campeonato de pontos corridos é quase uma corrida de fundistas. Quem larga na gente e abre vantagem pode não mais ser alcançado. Torcemos por providências urgentes para a gangorra não funcionar. O jogo: As duas equipes se postaram bem dentro do campo com as limitações do Alfredo Leahy. Cada time com as suas armas aplicadas. O Penedense buscando se encontrar entre novos atletas, formação tática, acreditando ser possível que a técnica de alguns jogadores ajudasse a superar todos os problemas existentes: goleiro machucado, jogadores suspensos, atletas de baixíssimo rendimento dentro de campo. Mesmo assim o alvirrubro do cajueiro grande tentou implantar um esquema de jogo que o favorecesse. Todavia, o condicionamento físico da maioria dos atletas em campo não permitiu segurar a um time montado totalmente por jovens atletas – fôlego para dar e vender – com boa qualidade técnica e taticamente bem armado. O CRB literalmente passeava em campo enquanto não voava quando resolvia atacar. O resultado do jogo traduziu a supremacia do galo. O placar ainda poderia ter sido maior não fosse a ousadia da trave esquerda do goleiro do Penedense ao evitar o segundo gol do time praiano. A arbitragem em nada comprometeu ao resultado da partida. Apesar de respeitarmos as opiniões contrarias dos apaixonados torcedores do time ribeirinho. Se fossemos destacar algo e alguém durante a partida, seria destaque a maneira lépida e eficiente do toque de bola do CRB. E, se alguém tivesse que merecer algum brilho, este seria o goleiro do Penedense que mesmo não tendo sido exaustivamente exigido, terminou por ser o nome do jogo pelas defesas, algumas arrojadas, que teve de praticar em meio a uma defesa atabalhoada que foi a zaga do Penedense. Não foi uma partida bonita de se assistir, muito embora o grande público presente enchesse aos olhos de qualquer torcedor apaixonado pelo cansado, vencido pelo tempo, mas ainda com vida, Estádio Dr. Alfredo Leahy. Por: redação e imagens de Arnaldo Lima

Autor: Raul Rodrigues