Esportes

Há 600 minutos sem gols, Yuri coincide jejum com queda de rendimento do Inter

02/12/2021 07h55
Atacante não marca há sete partidas, período no qual o Colorado caiu na tabela e hoje vê classificação à Libertadores ameaçada
Há 600 minutos sem gols, Yuri coincide jejum com queda de rendimento do Inter

A turbulenta fase do Inter não passa impune por Yuri Alberto. Até o atacante, que chegou a ser artilheiro do Brasileirão, passa por um momento conturbado. Sem marcar há quase dois meses, busca reencontrar o caminho das redes nas duas rodadas derradeiras para ajudar a equipe a alcançar a vaga à próxima edição da Libertadores e evitar a maior seca na temporada.

O último gol de Yuri ocorreu no dia 13 de outubro, quando o time superou o América-MG por 3 a 1. Ele disputou outras sete partidas, mas passou em branco. Até contribuiu com uma assistência. Porém, acumula 630 minutos sem balançar as redes.

O período se aproxima do maior enfrentado em 2021. Entre o gol na vitória por 2 a 1 sobre a Chapecoense, jogo que marcou a reestreia de Diego Aguirre como técnico do clube, até os três na goleada por 4 a 0 sobre o Flamengo, ficou nove partidas sem marcar, com 722 minutos.

Yuri no Brasileirão

 

 

  • 31 jogos
  • 11 gols
  • 3 assistências
  • 6 cartões amarelos
  • 2.516 minutos em campo
  • Não marca há 7 partidas
  • 630 minutos de seca

 

No atual momento de jejum, Yuri conviveu com um problema no pé esquerdo. O incômodo apareceu no aquecimento da derrota por 1 a 0 para o São Paulo.

A situação piorou e virou um edema ósseo. Acabou afastado das derrotas por 2 a 1 para o Flamengo e 1 a 0 para o Fluminense. Voltou no empate em 1 a 1 com o Santos no fim de semana passado. A expectativa é que evolua no embate diante do Atlético-GO.

– (Yuri) É um jogador muito bom. Estávamos com saudade dele em campo. Eu penso que poderá jogar os próximos dois jogos. Se sentirá melhor. Terá uma semana para trabalhar. É nosso artilheiro, jogador emblemático do ataque. Estando à disposição, é difícil tirá-lo. Ele tem que jogar – reforça o técnico Diego Aguirre.

Fases se entrelaçam

O hiato coincide com a queda de produção do Inter no Brasileirão. Após a vitória sobre o América-MG, o Colorado disputou 11 partidas. Ganhou apenas duas, empatou três e perdeu seis. O time fez nove gols, uma média de 0,81 por jogo. Em quatro oportunidades, saiu zerado do gramado.

Para piorar, o grupo de Diego Aguirre não soube o que é terminar uma partida com os três pontos nos quatro compromissos mais recente – três derrotas e um empate no período.

A sequência negativa fez a equipe despencar na tabela. De outubro até o momento, o Colorado deixou o G-6 e hoje figura em 10º lugar. A classificação à Libertadores está cada vez mais ameaçada.

Portanto, a necessidade de vitória é total. O Inter precisa se recuperar para seguir na luta por um posto no G-8. O time recebe o Atlético-GO na segunda-feira, às 20h, no Beira-Rio. A partida é válida pela penúltima rodada do Brasileirão.

Autor:

Fonte: globoesporte.globo.com