Esportes

Análise: Palmeiras avança na Libertadores em evolução graças a dupla que mudou o time

22/07/2021 06h33
Com a sequência para Zé Rafael e Danilo à frente da defesa, Verdão mostra repertório ofensivo e tem momentos de domínio na classificação contra a Universidad Católica
Análise: Palmeiras avança na Libertadores em evolução graças a dupla que mudou o time

Palmeiras se classificou às quartas de final da Libertadores com mais uma vitória magra por 1 a 0 sobre a Universidad Católica, do Chile, mas apresentou o suficiente para ganhar com mais folga no Allianz Parque.

Em meio à melhor sequência de resultados sob o comando de Abel Ferreira, o Verdão conquistou nesta quarta-feira a oitava vitória consecutiva. Além dos bons resultados, o desempenho tem sido elogiável nesta arrancada, muito por conta de dois jogadores: Danilo e Zé Rafael.

O Palmeiras fez um bom jogo como um todo diante da Católica, mas a dupla de volantes tem feito a diferença. Enquanto Danilo é um jogador de maior mobilidade, com bons passes longos, Zé é um condutor de bola difícil de ser desarmado.

Ter os dois para iniciar as jogadas é um diferencial nesta boa fase do Palmeiras, que teve desempenho irregular ao longo da temporada. Na vitória diante dos chilenos, eles tomaram conta do meio-campo e municiaram Gustavo Scarpa e Raphael Veiga.

Zé Rafael em Palmeiras x Universidad Católica — Foto: Sebastiao Moreira / POOL / AFP

Ao escalar Renan na lateral esquerda, Abel fez de Marcos Rocha um ponta pela direita quando o Palmeiras tinha a bola, com Scarpa e Veiga atuando atrás de Deyverson, e Wesley aberto do outro lado.

Com estes jogadores, o Verdão atacava a área da Católica praticamente com cinco "atacantes". Assim, empilhou chances e teve duas bolas na trave até Marcos Rocha abrir o placar merecidamente. Os chilenos, depois de incomodarem nos primeiros minutos em bolas aéreas, foram dominados.

Após o intervalo, o Palmeiras fez aquilo que está acostumado quando sai à frente: armou-se para contra-atacar. Esta ideia foi melhor executada a partir das mudanças no segundo tempo, especialmente com as entradas de Dudu, que se mostrou mais solto nessa noite, e Breno Lopes.

Marcos Rocha comemora em Palmeiras x Universidad Católica — Foto: Sebastiao Moreira / POOL / AFP

Até Gabriel Veron, que voltou a jogar depois de quase três meses recuperando-se de lesão muscular, atuou bem nos minutos que teve.

O Verdão terminou o jogo com 54% de posse de bola, 18 finalizações, oito defendidas pelo goleiro e três na trave. Um domínio maior do que o placar de 1 a 0 diz.

Agora o atual campeão enfrentará o São Paulo nas quartas de final, adversário que o bateu na final do Campeonato Paulista. Apesar de a decisão ter acontecido há apenas dois meses, o Palmeiras está diferente. Trabalha melhor a bola, tem maior repertório.

Por isso chega sem sustos às quartas da Libertadores, é líder do Brasileiro e ganhou todas no último mês – concidentemente quando Zé e Danilo se firmaram, também.

Autor: Thiago Ferri

Fonte: gazetaweb.globo.com