Brasil

Vídeo traz polícia quebrando corrente que prendia paraguaio pelo pescoço em SP

16/09/2021 07h32
Segundo informado pela vítima às autoridades, os criminosos pediam US$ 300 mil pelo resgate, mas pretendiam matá-lo mesmo com o pagamento. Ele foi encontrado em Miracatu (SP).
Vídeo traz polícia quebrando corrente que prendia paraguaio pelo pescoço em SP

Um vídeo obtido pelo G1 nesta quinta-feira (16) mostra o momento em que a Polícia Civil quebra as correntes que prendiam, pelo pescoço, o paraguaio de 42 anos que foi sequestrado e levado para um cativeiro em Miracatu, no interior de São Paulo. Ele ficou oito dias acorrentado, sem comer e sendo torturado pelos criminosos.

As imagens mostram o momento exato em que a polícia quebra o cadeado e tira as correntes de ferro que prendiam o paraguaio pelo pescoço. Após ser finalmente liberto, a vítima levanta com dificuldade e dá um abraço no policial, visivelmente emocionado.

Os criminosos sequestraram o homem no último dia 6, em Praia Grande, e o levaram até um imóvel na Estrada do Engenho, em Miracatu. Segundo o homem, os sequestradores pesquisaram nas redes sociais sobre a família dele para pedir o resgate em dólar. Eles pediram, inicialmente, US$ 300 mil pelo resgate aos familiares, mas negociaram o valor e combinaram US$ 100 mil.

Em vídeos feitos durante o resgate, a vítima aparece agradecendo a Deus pelo resgate assim que os policiais entram no cômodo (veja vídeo abaixo). Ele conta que foi sequestrado em Praia Grande no último dia 6 e que, desde então, havia comido apenas duas vezes e era torturado pelos criminosos.

À TV Tribuna, o delegado Carlos Eduardo Ceroni, da Delegacia de Miracatu, explicou que a vítima seria executada por receio de represália. "O irmão dele [vítima] seria um jogador profissional de futebol e tem influência na cidade. Os sequestradores tinham receio de uma represália por parte dos familiares da vítima caso ela fosse libertada. Então, seria executada", contou.

Todo o local foi periciado por policiais da Delegacia de Polícia de Miracatu, com apoio de policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Registro e da Delegacia de Polícia de Juquiá. Diligências prosseguem para identificação e prisão dos envolvidos.

Vítima foi encontrada acorrentada em residência em Miracatu, SP — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Autor: Juliana Steil, G1 Santos

Fonte: g1.globo.com