Brasil

Vacina contra a pólio fica abaixo da meta e preocupa

21/07/2018 06h36
Para médicos essa diferença que parece pequena é significativa
Vacina contra a pólio fica abaixo da meta e preocupa

Levantamento da Secretaria Municipal da Saúde, sob gestão de Bruno Covas (PSDB), aponta que a cobertura da vacina contra a poliomielite, vírus que pode causar paralisia em crianças de até 1 ano chegou a 84,8% da cobertura na capital, quando deveria ser de 95%.

Para alcançar a meta, faltou vacinar 17.942 crianças.

A diferença parece ser pouca, mas, para médicos e especialistas, ela é significante.

Helio Arthur Bacha, coordenador da Sociedade Brasileira de Infectologia, diz que a cobertura vacinal da poliomielite –e outras vacinas– ficar em média 10% abaixo da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é preocupante.

"O ideal é ser de 95% para cima, ainda mais com os surtos recentes de sarampo pelo Brasil."

No caso da tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola, a cobertura em São Paulo foi de 86,1%, então 15.605 ficaram sem a vacina.

Na segunda dose, esse percentual caiu ainda mais: 54,9%.

Resposta

A Secretaria Municipal da Saúde, sob gestão de Bruno Covas (PSDB), disse que todas as vacinas do calendário de imunização estão disponíveis nas UBSs da capital e são aplicadas durante todo o horário de funcionamento de cada UBS.

A pasta ressaltou que "não mede esforços para atingir a cobertura vacinal" das que fazem parte do calendário, mas que é importante os pais se atentarem à caderneta de vacinação para garantir a imunização.

Autor: Jéssica Lima

Fonte: agora.uol.com.br