Brasil

Rio desiste de escavar cemitério de escravos para obras do VLT

28/08/2018 03h11
O sítio arqueológico não será mais escavado, e o trabalho será limitado à pesquisa e à delimitação do cemitério
Rio desiste de escavar cemitério de escravos para obras do VLT

Oantigo cemitério dos pretos novos localizado no Largo de Santa Rita, no Rio de Janeiro, situado abaixo do traçado da Linha 3 do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), deve permanecer intacto para evitar que ossadas sejam remexidas e removidas do local. As obras do VLT previam escavação da área, no entanto, o Iphan e a concessionária do VLT cederam a apelos do movimento negro e modificaram o projeto de pesquisa na região.

De acordo com o jornal O Globo, o sítio arqueológico não será mais escavado, e o trabalho será limitado à pesquisa e à delimitação do cemitério.

Em entrevista, a arqueóloga Maria Dulce Gaspar, coordenadora do trabalho, explicou que já haviam sido feitas prospecções anteriores, que detectaram fragmentos de ossos e, portanto, as equipes terão condições de traçar a área do antigo cemitério. O sítio arqueológico deverá ser identifcado com uma marcação feita no piso. As análises laboratoriais de possíveis ossadas não serão mais realizadas.

As obras da nova linha do VLT devem seguir e iniciar operação no fim do ano. A reportagem destaca que a linha sairá da Central do Brasil e atravessará a Avenida Marechal Floriano em direção à Avenida Rio Branco. Ela passará por cima desse sítio arqueológico do século XVIII, onde existiu um cemitério, em frente à igreja de Santa Rita.

Historiadores acreditam que, entre 1722 e 1769, o cemitério funcionou ali, até que o mercado de escravos foi transferido da área urbanizada da cidade para a região do Valongo. Quando o local foi encontrado, lideranças do movimento negro reclamaram de falta de transparência e foi criado um grupo de trabalho, batizado de Comissão Pequena África, da qual participam 16 ONGs e entidades, como Conselho Estadual dos Direitos do Negro (Cedine) e o Movimento Negro Unificado.

Autor: Redação

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br