Brasil

Novo vídeo mostra trajeto do ônibus onde 6 foram esfaqueados e três morreram em avenida de Piracicaba

22/06/2022 18h49
Câmeras de videomonitoramento da prefeitura flagraram pessoas em pânico pelas ruas e PMs iniciando intervenção. Primeiros policiais contam como conduziram ação.
Novo vídeo mostra trajeto do ônibus onde 6 foram esfaqueados e três morreram em avenida de Piracicaba

Imagens exclusivas de câmeras de segurança da Prefeitura de Piracicaba (SP) mostram o ônibus onde um homem esfaqueou seis pessoas circulando pouco antes do crime e as primeiras ações de policiais militares no local antes do homem se render, em uma das principais da cidade.

Três pessoas morreram durante o crime e três foram socorridas com vida. Primeiros policiais contam como conduziram ação (leia detalhes abaixo).

Veja na linha do tempo abaixo que o tempo entre a parada do ônibus em um ponto e a chegada da polícia é de quatro minutos:

 

  • 15h05: O veículo, que faz a linha Centro/Vila Sônia, aparece no sistema de segurança da prefeitura circulando na Avenida Armando de Salles Oliveira, logo após sair do Terminal Urbano da cidade.
  • 15h06: O motorista para em um ponto de embarque e desembarque, próximo ao cruzamento com a Rua Regente Feijó.
  • 15h06: Pessoas aparecem correndo pela calçada. Alguns chegam a atravessar a avenida em meio aos carros e há sinais de desespero.
  • 15h10: As primeiras viaturas da polícia chegam ao local e uma equipe já passa a negociar a rendição do criminoso.
  • 15h13: PMs param o trânsito na avenida, que fica congestionado.
  • 15h21: Equipes de bombeiros e Samu já atendem feridos no local.

"Chamava 'venha, venha'"

 

Os primeiros policiais que chegaram ao local falaram com exclusividade à produção da EPTV, afiliada da TV Globo, nesta quarta-feira (22).

A cabo da PM Priscila Lorenço contou que ela e outros policiais estavam em um ponto de estacionamento, na operação Sufoco, que está acontecendo em todo estado de São Paulo, quando moradores do outro lado da via começaram a gritar, motos e carros a buzinar.

"Foi tudo muito rápido. Vimos pessoas descendo do ônibus, bastante populares machucados, com bastante sangue. Corremos até a entrada traseira do ônibus e conseguimos ver que tinha um indivíduo com uma faca na mão, fazendo ameaças também a nós", descreve.

Ela lembra como foi a negociação com o homem até ele se entregar.

 

"Chamava 'venha, venha'. Apontando a faca, batia a faca no vidro. Deu para ver que a faca era de grande porte. Conseguimos verbalizar, tentar fazer com que ele largasse a faca. Insistimos. Nesse momento chegou uma viatura do Baep para apoio. Momento em que ele decidiu jogar a faca para o fundo do ônibus."

 

Quando os PMs pediam para ele largar a faca, mostrava agressividade e começava a jogar alguns objetos nos militares que estavam mais de frente para a entrada do ônibus.

"Tudo muito rápido, pessoas sangrando, correndo do ônibus. O primeiro momento foi bastante complicado".

Ônibus circula em avenida de Piracicaba momentos antes de parar e autor de ataque ser rendido pela PM — Foto: Reprodução/ Cemel

"Pessoas em estado de choque"

 

O soldado da PM Samir Ariel Costa de Carvalho relatou que quando ele e a colega chegaram ao local havia muitas pessoas alteradas e, inicialmente, duas delas feridas na calçada.

 

"As pessoas estavam em estado de choque, gritavam coisas aleatórias. É normal isso, as pessoas não gritavam coisas precisas pra gente, só pra contê-lo".

 

Ele também reforçou, como a PM e a Polícia Civil já haviam informado na terça-feira (21), que devido estado alterado do autor do crime não foi possível manter nenhum diálogo racional com ele, pois falava coisas desconexas.

"O momento mais difícil foi da chegada, porque a gente não sabia quem era o autor. A gente não tinha o conhecimento se era uma arma de fogo, uma faca", recorda.

O ataque

 

No total, seis pessoas foram esfaqueadas e três morreram. O suspeito foi preso e, de acordo com a Polícia Civil, ele escolheu as vítimas aleatoriamente, apresentava falas desconexas e não tinha uma motivação para o crime.

O ataque ocorreu às 15h15, em um coletivo da linha Centro/Vila Sônia, quando o veículo estava na Avenida Armando de Salles de Oliveira, uma das principais da cidade, nas proximidades do cruzamento com a Rua Regente Feijó, no segundo ponto após saída do Terminal Urbano da cidade.

De acordo com uma passageira, o homem saiu do terminal em silêncio e, repentinamente, começou a desferir as facadas.

Imagens que circulam em redes sociais mostram o homem realizando os ataques e PMs chegando ao local para rendê-lo e realizar a prisão.

O trecho foi interditado e as vítimas foram atendidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Polícias militar e civil e Guarda Civil Municipal atenderam a ocorrência no local, que foi sobrevoado pelo Helicóptero Águia.

Segundo a prefeitura, morreram no ataque duas mulheres, de 42 e 55 anos, e um homem de 68 anos. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) e não havia informações sobre velório e enterro até a última atualização desta reportagem.

Outras duas vítimas foram conduzidas para o Hospital dos Fornecedores de Cana de Piracicaba (HFC). Uma delas é um rapaz de 28 anos que está em estado grave e a outra é uma idosa de 60 anos que está em estado estável, segundo o último boletim médico da unidade de saúde.

A terceira vítima que sobreviveu é um inspetor de 24 anos, que foi esfaqueado no pescoço. Segundo a Santa Casa de Piracicaba, ele foi atendido no setor de ortopedia da unidade e liberado, sem permanecer internado.

Já uma idosa, que não chegou a ser ferida, foi socorrida com crise nervosa para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Rezende.

Em nota, a concessionária TUPi Transporte, responsável pelo transporte público na cidade, manifestou apoio e solidariedade às vítimas e seus familiares.

"Informações indicam que uma pessoa atacou deliberadamente quem estava em sua frente com uma faca vitimando pessoas e ferindo outras causando pânico generalizado. O homem foi preso e a TUPi está acompanhando o caso e em contato com as autoridades locais e a prefeitura municipal", acrescentou.

Ônibus onde o crime ocorreu, na Avenida Armando de Salles Oliveira, em Piracicaba — Foto: Claudia Assencio/ g1

Equipes do Corpo de Bombeiros e Samu prestaram socorro às vítimas de atentado em Piracicaba  — Foto: Claudia Assencio/ g1 Piracicaba

Policiais preservaram local onde ocorreu o ataque — Foto: Claudia Assencio/ g1

Helicóptero Águia da Polícia Militar sobrevoa local do atentado a passageiros de ônibus em Piracicaba  — Foto: Claudia Assencio/g1 Piracicaba

Autor: Edijan Del Santo, g1 Piracicaba e EPTV

Fonte: g1.globo.com