Brasil

Com influência do feriado, Brasil vê média móvel de mortes ir abaixo de 400 após 11 meses

13/10/2021 06h38
País contabiliza 601.442 óbitos e 21.588.245 casos de coronavírus desde o início da pandemia, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa com dados das secretarias de Saúde. Equipes reduzidas trabalhando no feriado estendido resultam em números baixos e apontam queda maior que a esperada.
Com influência do feriado, Brasil vê média móvel de mortes ir abaixo de 400 após 11 meses

O Brasil registrou nesta terça-feira (12) 176 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 601.442 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 367 --a menor registrada em exatos 11 meses, desde 12 de novembro de 2020 (quando estava em 365). Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -32% e aponta queda pelo terceiro dia seguido.

A forte queda apontada tem influência do feriado estendido de Nossa Senhora Aparecida. Devido às equipes reduzidas trabalhando nos municípios, os números de casos e mortes registrados no sistema nacional ficam abaixo do normal e apontam uma queda maior que a esperada. Para efeito de comparação, na terça-feira passada (sem feriado) foram 686 mortos em 24 horas. Por isso, os números dos próximos dias devem vir elevados devido ao represamento.

Sob essa mesma influência, a média móvel de casos ficou abaixo da marca de 13 mil, a menor registrada desde maio de 2020 (veja detalhes mais abaixo).

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta terça. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Evolução da média móvel de óbitos por Covid no Brasil nos últimos 14 dias. A variação percentual leva em conta a comparação entre os números das duas pontas do período — Foto: Editoria de Arte/G1

Veja a sequência da última semana na média móvel:

 

  • Quarta (6): 464
  • Quinta (7): 438
  • Sexta (8): 457
  • Sábado (9): 447
  • Domingo (10): 437
  • Segunda (11): 440
  • Terça (12): 367

 

Em 31 de julho, o Brasil voltou a registrar média móvel de mortes abaixo de 1 mil, após um período de 191 dias seguidos com valores superiores. De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média móvel acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril.

Sete estados (AM, SE, RO, CE, PI, RN, PB) apresentam alta de mortes. Dois (AP e RR) não registraram novos óbitos nesta terça. RR também não registrou novos casos.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia, 21.588.245 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 7.151 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi 12.759 novos diagnósticos por dia --a menor marca registrada desde 18 de maio de 2020 (quando estava em 12.397). Isso representa uma variação de -22% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica queda nos diagnósticos.

Em seu pior momento a curva da média móvel nacional chegou à marca de 77.295 novos casos diários, no dia 23 de junho deste ano.

Brasil, 12 de outubro

 

 

  • Total de mortes: 601.442
  • Registro de mortes em 24 horas: 176
  • Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 367 (variação em 14 dias: -32%)
  • Total de casos confirmados: 21.588.245
  • Registro de casos confirmados em 24 horas: 7.151
  • Média de novos casos nos últimos 7 dias: 12.759 (variação em 14 dias: -22%)

 

 

Estados

  • Em alta (7 estados): AM, SE, RO, CE, PI, RN, PB
  • Em estabilidade (3 estados): AC, ES, GO
  • Em queda (16 estados e o DF): DF, PE, MA, BA, MG, RJ, RS, AL, PR, SC, MS, MT, PA, TO, SP, AP, RR

 

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo g1 para analisar as tendências da pandemia).

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

 

Vacinação

 

O Brasil tem 99.958.396 pessoas que tomaram a segunda dose ou a dose única de imunizantes contra Covid-19, o que equivale a 46,86% da população com o esquema vacinal completo, segundo dados também reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa.

Os que tomaram a primeira dose e estão parcialmente imunizados são 149.805.979 pessoas, o que corresponde a 70,23% da população. Já a dose de reforço foi aplicada em 2.468.883 de pessoas.

Somando a primeira dose, a segunda, a única e a de reforço, são 252.233.258 doses aplicadas desde o começo da vacinação, em janeiro de 2021.

 

Veja a situação nos estados

Sul

 

  • PR: -36%
  • RS: -35%
  • SC: -39%

 

Sudeste

 

  • ES: -8%
  • MG: -29%
  • RJ: -29%
  • SP: -47%

 

Centro-Oeste

 

  • DF: -19%
  • GO: -9%
  • MS: -44%
  • MT: -46%

 

Norte

 

  • AC: 0%
  • AM: +233%
  • AP: -100%
  • PA: -47%
  • RO: +70%
  • RR: -77%
  • TO: -47%

 

Nordeste

 

  • AL: -36%
  • BA: -25%
  • CE: +32%
  • MA: -25%
  • PB: +17%
  • PE: -19%
  • PI: +26%
  • RN: +22%
  • SE: +100%

Autor:

Fonte: g1.globo.com