Brasil

Chuvas no Pará: Governo decreta situação de emergência em 17 municípios

17/01/2022 17h00
Situação é mais crítica em Marabá, onde cerca de 2,5 mil famílias são atingidas por cheia de rios. Cadastro é feito para pagamento de auxílio a afetados. Veja lista de cidades.
Chuvas no Pará: Governo decreta situação de emergência em 17 municípios

O governo do Pará decretou situação de emergência por causa das chuvas intensas que atingem cidades das regiões do Araguaia, Carajás, Lago do Tucuruí, Tapajós e Baixo Amazonas. Ao menos 17 municípios já registram algum tipo de prejuízo por conta da chuva ou das cheias e foram listadas no decreto estadual.

Nesta segunda-feira (17), há alerta da Defesa Civil para risco de chuva para região metropolitana de Belém, nordeste , sudeste e sudoeste do estado e Baixo Amazonas.

No total são 55.022 pessoas afetadas, segundo o Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. Destes, são 1.368 desabrigados e 14.244 desalojados.

No Pará, oito municípios decretaram emergência até então, são eles: Aveiro, Rurópolis, São João do Araguaia, ItupirangaPau d'Arco, Bom Jesus do TocantinsMarabá e Trairão.

A cidade onde a situação está mais grave é Marabá, com mais de 2,5 mil famílias atingidas, sendo que são 600 em abrigos, mais de 1,1 mil na casa de amigos e parentes e ao menos 300 famílias que não deixaram suas casas e estão isoladas no segundo piso de suas casas, quando essas são mais altas.

O nível do Rio Tocantins, o principal da cidade, está com 13 metros, quase sete metros acima do nível normal. As cheias começaram a afetar a cidade ainda em dezembro. No início deste mês, a prefeitura decretou situação de emergência.

Famílias estão ema abrigos em Marabá   — Foto: Jhone Freires/TV Liberal

Decreto estadual

 

O decreto estadual foi publicado no fim de semana no Diário Oficial e tem validade por 180 dias. O documento deve auxiliar com subsídios às cidades, mas na publicação oficial não há detalhes sobre liberação de recursos.

Até esta segunda, o governo não passou informações sobre o auxílio para as demais cidades, além de Marabá.

As cidades com problemas registrados pela chuva e listadas pelo governo são as seguintes:

Região do Araguaia

 

  1. Pau D’Arco;
  2. Santana do Araguaia;
  3. Tucumã;
  4. São João do Araguaia;
  5. Bom Jesus do Tocantins

 

Região do Carajás

 

  1. Marabá;
  2. São Geraldo do Araguaia;
  3. Parauapebas;

 

Região do Tapajós

 

  1. Aveiro;
  2. Rurópolis;
  3. Trairão;
  4. Novo Progresso;

 

Região do Baixo Amazonas

 

  1. Juriti;
  2. Oriximiná;
  3. Santarém;
  4. Óbidos;

 

Região do Lago de Tucuruí

 

  1. Itupiranga.

Marabá está com rios mais de 12 metros acima do nível normal   — Foto: Marcelo Seabra/Agência Pará

Famílias buscam auxílio em Marabá

 

Segundo a prefeitura de Marabá, esta é a pior cheia do mês de janeiro em 20 anos. A concessionária de energia elétrica do estado desligou a luz em algumas residências por segurança.

Em Marabá, há bairros onde a água chegou na altura da fiação elétrica. As ruas onde passavam carros estão ocupadas por barcos e lanchas. Caminhões com donativos começaram a chegar no fim de semana à cidade.

Famílias estão sendo cadastradas desde o fim de semana para receber auxílio financeiro de R$ 1.212. O recurso deve ser liberado a medida que o cadastro é realizado. Há também serviço de emissão de documentos.

Inicialmente estão sendo atendidas as famílias que estão em abrigos. Mais tarde, o cadastro deve ser ampliado a quem está desalojado.

Famílias em Marabá fazem cadastro para receber auxílio após cheia atingir milhares de casas — Foto: Alex Ribeiro/Agência Pará

O governo e a prefeitura reforçam que não é necessário, neste momento, os moradores são procurados pela Defesa Civil e outras autoridades. Os critérios para receber são: "possuir renda familiar de até três salários mínimos, residir em imóvel que tenha sido direta e gravemente atingido pelas fortes chuvas que causaram deslizamentos, inundações, enxurradas e alagamentos", informou a defesa civil municipal.

 

Locais para fazer doações às famílias afetadas:

 

 

  • Central Única das Favelas no Pará (Cufa): Travessa Moura Carvalho, número 102 – B, no bairro da Campina, distrito de Icoaraci - Belém.
    Doações até esta sexta-feira (14): alimentos, roupas, cobertores e fralda.
  • Sede da Secretaria de Assistência Social, Proteção e Assuntos Comunitários (SEASPAC): Travessa da Fonte, bairro Amapá, Marabá (em frente ao CAP e ao lado do Ministério Público Estadual)
  • Sede da Defesa Civil Municipal: Rua 7 de Junho, nº 1020, Marabá Pioneira. A arrecadação é das 8 às 16 horas. Os itens prioritários são alimentos não-perecíveis, itens de higiene pessoal, roupas e artigos de cama, mesa e banho.

 

 

Veja da cheia em Marabá:

Água dos rios já está chegando em abrigos construídos para acolher famílias que já saíram de suas casas por causa das cheias — Foto: Jhone Freires/TV Liberal

Cheia em Marabá já é a maior em 20 anos para este período do ano — Foto: Jhone Freires/TV Liberal

Orla da cidade de Marabá está completamente tomada pela água — Foto: Jhone Freires/TV Liberal

Defesa Civil analisa local de abrigos, após água está alcançando também os espaços construídos para abrigar famílias. — Foto: Jhone Freires/TV Liberal

Mais de 2 mil famílias tiveram que sair de suas casas por conta das cheias em Marabá — Foto: Divulgação

Autor:

Fonte: g1.globo.com