Blogs

Por que reclamo do “Estado Islâmico” nos derredores da Catedral e do Convento.

24/09/2021 17h22
Se as igrejas acham que conquistam mais fiéis com bombardeios que comprem metralhadoras e canhões. Aliás na Praça Barão de Penedo já tem um.
Por que reclamo do “Estado Islâmico” nos derredores da Catedral e do Convento.

Para quem mora nos derredores da Catedral Diocesana de Penedo e da igreja Conventual Nossa Senhora dos Anjos, as manhãs entre os meses de junho a setembro é de um longo e tenebroso período de comparação com a região do Afeganistão, Irã e Iraque nos anos 2000. O bombardeio se inicia às seis horas da manhã.

É trezenário de santo fulano, é quinzena de santa fulana, é festa do santo beltrano, contanto que se justifique a série de bombardeios às seis horas da manhã. E quem mora nesse derredor que aguente.

Parto do primeiro princípio de que o seu direito termina quando começa o dos outros. E isto não está sendo respeitado pelos responsáveis pela Catedral e pelo Convento. Eles tocam o bombardeio indiscriminadamente.  

Segundo princípio, qualquer pessoa que acorda assustada dispara para o cérebro uma quantidade de sangue bem maior que a do estado de repouso ao qual se encontra quem dorme, e isto pode ocasionar um AVC. Para quem duvida que pergunte a um médico. A recomendação para acordá-lo é que a pessoa primeiro movimente pés e pernas, mãos e braços para depois se levantar evitando assim os riscos dos primeiros AVCs já ocorridos em pessoas idosas.   

E para quem não sabe os cachorros têm uma sensibilidade muito acima à do ouvido humano o que provoca uma correria dos animais em questão podendo chegar ao infarto em algumas raças. E bombardeio continua. O cachorro tem um olfato seiscentas vezes maior ao do ser humano, daí sentir a grandes distâncias o cheiro do seu dono se aproximando. Já na audição o animal tem um poder quatro vezes maior que nós.

O som mata você sabia?

A pesca com bombas em rios e riachos matam os peixes por serem mais sensíveis ao som que nós humanos e dentro da água o som se propagar a 1500 m/s, enquanto que no ar a 300m/s.

Vou continuar a minha luta contra esses bombardeios que substituíram ao toque dos sinos nunca usados nas décadas de 50/60/70/80 quando a igreja detinha o maior número de adeptos.

Autor: Raul Rodrigues

Fonte: correiodopovo-al.com.br