Blogs

Fiéis comprovam que festa religiosa não perdeu o brilho ante a pandemia

11/01/2022 13h01
Festa da fé não cobra bandas nem astros da música, quer é manter a tradição de um povo.
Fiéis comprovam que festa religiosa não perdeu o brilho ante a pandemia

As festividades alusivas ao Bom Jesus dos Navegantes de 2022 demonstraram que a fé inabalável das pessoas ao santo padroeiro dos pescadores não sofreu abalo no número de participantes aos atos religiosos.

A procissão – fluvial e terrestre – retomou aos mesmos moldes das festas anteriores e o que foi possível se fazer para o controle do trânsito em Penedo, principalmente nas ruas por onde o cortejo religioso fosse passar estiveram sob o total controle dos membros da SMTT que mantiveram a ordem e disciplina com excelente trabalho realizado. 

A cidade não fervilhou de gente como em datas passadas – antes das ondas pandêmicas – com a festa profana que atraiam dezenas milhares de pessoas para as noites com bandas e astros da música brasileira dando e atendendo aos contornos do desejo de uma população jovem que gosta e admira aos seus ídolos. A cidade ficava pequena para aglomerar tantos turistas e visitantes da própria cidade, mas que moram ou residem em outras localidades e que veem matar as saudades da terrinha.

Entretanto, se feito uma análise do pensamento de quem sempre defendeu que o Bom Jesus dos Navegantes também atrai visitantes aos milhares, a resposta foi dada nos dois últimos anos. A fé e a religiosidade prevalecem e mantêm viva a tradição da maior festa religiosa do baixo São Francisco.

A cidade estava aberta ao turismo com suas igrejas e monumentos históricos abertos para visitação de turistas que não forma poucos, e a Praça São Camilo de Lelis – praça da igreja Conventual de Nossa Senhora Maria dos Anjos foi um dos pontos mais visitados pelas pessoas que queriam guardar em seus celulares as imagens de uma nova roupagem de Penedo.

As tradições populares foram todas presenteadas com espaços e horários para as suas apresentações dando vazão ao que demais puro existe nos corações penedenses com seus folguedos inigualáveis como as bandas de pífanos, a dança da onça, os bonecos do Tadeu, e tantas outras manifestações populares que encantaram a turistas ou não pela beleza natural de um povo e sua gente.

 

Bom Jesus vai Bom Jesus vem Bom Jesus, Bom Jesus é festa de quem quer bem! 

Autor: Raul Rodrigues

Fonte: correiodopovo-al.com.br