Blogs

Coletiva da vacinação abriu grande discussão sobre os direitos individuais e coletivos.

26/01/2022 20h49
Coletiva há de trazer efeitos benéficos para toda a comunidade estudantil ainda não vacinada.
Coletiva da vacinação abriu grande discussão sobre os direitos individuais e coletivos.

A coletiva realizada na Casa de Aposentadoria na terça-feira, dia 25/01, às 10 horas e que teve duração de duas horas ininterruptas entre explanações e perguntas e respostas que contou coma presença vários representantes de escolas públicas e privadas, versando sobre a vacinação de crianças e adolescentes, e que contou com as presenças dos Conselheiros Tutelares – entidade que provocou a Live – do Juiz da Infância e Juventude de Penedo, Dr. José Eduardo Nobre Carlos, do Secretário de Saúde de Penedo, Guilherme Lopes, e outras autoridades foi de fato o lançamento de uma campanha em nome da VIDA!

Se questionarmos os direitos individuais dos pais que não querem vacinar aos seus filhos, temos em contraditório o direito de defesa da coletividade. Será que é direito individual contaminar aos demais por conta de quaisquer que sejam as explicações dos senhores pais? Esse é um ponto cuja discussão deva se encaminhar pela compreensão de todos e se necessário à observância da Lei.

Se as escolas do município fizerem cumprir a determinação do Juiz da Infância e da Juventude cobrando o cartão de vacinação dos estudantes no ato das matrículas ou em posterior data, o começo da batalha já estará se encaminhando para o sucesso.

Quanto a todas as perguntas realizadas e que todas elas respondidas pelas autoridades presentes – Secretário de Saúde e Juiz da Infância e Juventude – servirem de alicerce ou base para a conscientização da população por ter sido a coletiva transmitida por todas as emissoras de rádio de Penedo, já teremos avançado muito. E como bem disse o Dr. José Eduardo Nobre Carlos, “não quero crer que precisemos usar a Lei como instrumento de enfrentamento”, mas ficou claro que aos dissidentes a Lei será utilizada, pois “ninguém está acima da Lei”.

Com a participação de quase a totalidade dos representantes escolas de Penedo, o assunto ficou amplamente debatido e esclarecido que todas as unidades escolares deverão fazer cumprir a exigência de cobrar o atestado de vacinação de cada estudante como forma de assim garantir o direito de defesa da coletividade.

Diante da Lei ficou comprovado pelo Juiz da Infância e da Juventude que será feito para se combater à amarga disseminação das Fake News que combatem à ciência em nome da politização partidária ou religiosa que tanto tem atrapalhado a salvar vidas no Brasil.

De certo ficou também acertado entre as partes – diretores de escolas e o Dr. José Eduardo Nobre Carlos – Juiz da Infância e da Juventude – que os prazos para a cobrança dos atestados de vacinação seriam revistos entre as partes, mas que o mais breve possível tudo terá que se adequar ao direito à vida, até mesmo das crianças que induzidas pela autoridade dos pais ainda não estejam vacinadas.   

 

 

Autor: Raul Rodrigues

Fonte: correiodopovo-al.com.br