Blogs

A sociedade está doente e não é pouco.

05/09/2021 20h18
Deve haver uma explicação para aquele cotovelo de 90º. Quem sabe alguém pode explicar...
A sociedade está doente e não é pouco.

Por todo o território nacional estamos vendo os exemplos de personalidades públicas cometendo delitos a olhos nus. E a reação das pessoas é o silêncio. Não precisamos citar as classes, o povo sabe.

Em Alagoas as tomadas de contas de órgãos públicos viraram “caixa de pandora”, “caixa preta” contanto que não sejam expostas ao povo, único pagador de impostos.

Em Penedo os escândalos se renovam a cada século. São imóveis ou móveis tomados “pela cepa” como já diziam os mais velhos que por serem homens e mulheres honrados e honradas denunciavam tais fatos. Hoje o medo prevalece.

O Brasil é um país continente povoado por uma gente miúda, medrosa e tão imoral quanto os que arrebatam descaradamente os bens alheios. Mas cada cabeça tem a sua eterna prisão Alcatraz, e de lá ninguém nenhum juiz, magistrado ou ministro consegue tirar a culpa dos salafrários.

Aos que sabem e que poderiam fazer reduzir esses males chamamos de covardes e até apoiadores da podridão para assim se sentirem acima dos demais diante dos iguais, pois somos e fazemos parte da raça humana. Uns com mais psicopatias que os outros.

O Brasil está podre. O país continental já não mais autonomia sobre as suas terras – as mais ricas em seu subsolo – e os ricos estão a tomar cada vez o que sustenta o pobre. Água, terras férteis, áreas importantes na especulação imobiliária, como fazem as grandes indústrias quando querem se instalar em determinadas regiões. Compram as terras por meio de terceiros, e depois montam as suas Usinas.

Alagoas é uma terra dominada por menos de uma dezena de famílias que enriqueceram pela e na política, e se tornaram por conquista política e econômica Capitães das Capitanias Hereditárias de outrora.   

 

E Penedo transformou-se mais uma vez dominada pelos invasores sejam eles da área política ou empresarial. Ninguém mais observou o antigo rumo das casas comerciais que começavam em igual situação como ponto comercial do Seu Pedro da Singer até a desigual medição do antigo Nestor Mainha, antiga Receita Federal à antiga Farmácia Ramalho, atual O Boticário. São precisos 90º entre as lojas citadas. 

Ao que nos parece, era diferente.

Testa de bode ou cotovelo do nada.

 

Autor: Raul Rodrigues

Fonte: correiodopovo-al.com.br