Alagoas

Vereador e secretários municipais realizam reunião com feirantes para definir realocação da Feira do Benedito Bentes 2

16/01/2022 09h30
Comerciantes devem ser transferidos para uma área mais segura e adequada, no Benedito 1
Vereador e secretários municipais realizam reunião com feirantes para definir realocação da Feira do Benedito Bentes 2

Cerca de 100 feirantes, que trabalham na avenida principal do Benedito Bentes 2, na parte alta de Maceió, participaram de uma reunião, nessa sexta-feira (14) para definir o processo de realocação das barracas da região.

O vereador Siderlane Mendonça, morador do bairro há 35 anos e atual líder do governo na Câmara, intermediou o diálogo entre a Prefeitura e os comerciantes, para tentar adequar as necessidades deles, ao projeto do município.

"Sempre fui contra a permanência desses trabalhadores naquela área perigosa.

Já houve até um atropelamento com morte, no local. Eles ficam no canteiro e na lateral da avenida que, agora, é uma extensão da Avenida Rota do Mar, sem nenhuma condição de trabalho. Além do risco à vida deles, a 'Feirinha do 2' é um problema de mobilidade urbana, pois afeta o acesso à Rota do Mar e todo o escoamento do fluxo de veículos entre o Benedito e o Litoral. Junto com a Prefeitura, vamos mudar essa realidade para melhor, dando melhores condições de trabalho e a segurança que eles almejam", explica.

Com a proximidade da conclusão da Rota do Mar, a Prefeitura deve reduzir o tamanho do canteiro da pista principal do Benedito 2, impedindo a permanência das barracas.

Diante disso, o município propôs a realocação deles para a Rua do Caxeu, por trás do Mercado Público do Benedito 1. No local, foram instaladas 18 tendas, cobrindo toda a extensão da via. O uso das tendas é temporário, até a chegada das barracas individuais e padronizadas.

Nova área

Durante a reunião, os feirantes fizeram uma contraproposta, pedindo a realocação para a área do campo de futebol, próximo ao Caic. O vereador Siderlane apoiou a ideia, entendendo que deve haver uma melhora considerável na movimentação da feira, que beneficia diretamente o faturamento dos feirantes.

O secretário de segurança comunitária e convívio social (Semscs), Thiago Prado, garantiu que o Município vai tentar as soluções administrativas e jurídicas para a instalação da feira nessa área.

 

"Um problema de décadas não pode ser resolvido da noite para o dia. Por isso a gente vem fazendo uma construção de diálogo com os trabalhadores, para mostrar que a realocação não é apenas uma melhoria necessária para o bairro, mas para toda a capital. Estamos construindo soluções e o pedido deles vai ser estudado pela equipe técnica da Prefeitura, para verificar a viabilidade de atendimento da solicitação. A solução que queremos construir é a que melhor atenda ao interesse de coletividade e ao dos feirantes. A ação é coordenada, com diversas secretarias, pra que tudo dê certo", reforça.

Barracas e abono

O secretário do trabalho, abastecimento e economia solidária (Semtabes), Carlos Ronalsa, adiantou que o município vai garantir uma ajuda de custo no valor de R$ 300,00 (trezentos reais) mensais, para amenizar as perdas iniciais, decorrentes da mudança de endereço da feira. Ainda na reunião, os feirantes pediram que o valor fosse reajustado, diante do cenário atual de crise econômica enfrentada pelo país. Sensível à necessidade, Ronalsa adiantou que vai buscar alternativas para apresentar um valor maior.

"Não queremos fazer como o 'passado' fez, escondendo a sujeira debaixo do tapete. Nós estamos conversando com os feirantes e já fizemos cadastros. Vamos ajudar na transferência e conceder um abono de três meses. Eles disseram que o valor era pequeno, mas vamos trabalhar para tentar esse reajuste. Não é um valor pago porque eles vão parar de trabalhar. Vão continuar trabalhando, com esse benefício, complementando a renda. Eles foram enganados, antes. Mas aqui vou assinar um documento com um prazo para trazer as barracas adequadas e vamos trabalhar para tentar aumentar o valor do abono", garante.

Nova reunião

Um novo encontro entre os feirantes e a prefeitura deve ser realizado até o mês de fevereiro, quando as ações de realocação devem ser iniciadas.

Autor: Greyce Bernardino, com Assessoria

Fonte: gazetaweb.globo.com