Alagoas

Maceió começa a aplicar dose de reforço da vacina contra Covid a partir das 14h desta quarta-feira

22/09/2021 17h31
Nova dose é destinada para idosos com 70 anos ou mais e pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidos). Aplicação deve ser feita com imunizante diferentes do utilizado nas duas doses anteriores.
Maceió começa a aplicar dose de reforço da vacina contra Covid a partir das 14h desta quarta-feira

dose de reforço da vacina contra Covid começa a ser aplicada em Maceió a partir das 14h desta quarta-feira (22), para idosos com 70 anos ou mais e pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidos). A informação foi divulgada pela Secretaria municipal de Saúde (SMS).

A dose será aplicada em todos os pontos de vacinação, que funcionam até 21h nos shoppings Maceió, em Mangabeiras, e Pátio, na Cidade Universitária, e nos pontos drive-thru. Nos demais locais, é até 16h.

Para receber a dose de reforço, os idosos com 70 anos ou mais devem ter tomado a 2ª dose da vacina há pelo menos seis meses. Os imunossuprimidos (veja lista ao final do texto) precisam ter completado 28 dias da 2ª dose.

As pessoas acamadas também poderão receber a dose de reforço do imunizante, elas serão atendidas em casa.

As pessoas que ficaram acamadas, mas receberam as primeiras doses nos pontos de vacinação, devem se cadastrar para receber a equipe de vacinação em casa.

Os imunizantes utilizados para a dose de reforço serão diferentes dos que foram aplicados nas duas doses anteriores. De acordo com a SMS, a recomendação é para que as pessoas vacinadas com os imunizantes CoronaVac e AstraZeneca recebam o reforço da Pfizer e quem foi imunizado com a Pfizer deve tomar agora a AstraZeneca.

Veja abaixo quem são os imunossuprimidos

 

 

  • Imunodeficiência primária grave
  • Quimioterapia para câncer
  • Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras
  • Pessoas vivendo com HIV/AIDS
  • Uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias
  • Uso de drogas modificadoras da resposta imune
  • Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias
  • Pacientes em hemodiálise
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas

Autor:

Fonte: g1.globo.com