Alagoas

HGE, em Maceió, adota triagem e passa a atender somente emergências a partir desta quinta-feira

25/11/2021 08h23
Pacientes de casos de urgência, aqueles com baixo risco de morrer, serão orientados a procurar uma UPA após passar por avaliação médica.
HGE, em Maceió, adota triagem e passa a atender somente emergências a partir desta quinta-feira

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) divulgou nesta quarta-feira (24) mudanças no atendimento do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió. A partir dessa quinta-feira (25), o HGE passa a atender somente casos de emergência, ou seja, quando o paciente corre grande risco de morrer se não receber assistência médica o mais rápido possível. Já os casos de urgência, aqueles mesmo sendo grave, mas que o paciente não corre risco de morte, serão atendidos somente nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

A coordenadora da Área Azul, enfermeira Janiery Batista, explicou que haverá uma classificação de risco, antes do registro, para os casos de urgência. “Queremos identificar se o caso não pode ser resolvido em uma UPA, por exemplo, ou qualquer outra unidade de saúde, dependendo do caso. E assim, orientá-lo sobre a assistência precisa e o perfil do HGE”.

O secretário de saúde Alexandre Ayres disse que a mudança no fluxo de pacientes do HGE tem como finalidade desafogar o principal hospital público de Alagoas.

“É chegado o momento da gente direcionar o atendimento dos pacientes de urgência, pacientes que são atendidos na porta azul do HGE, e que podem, tranquilamente, ser atendidos nas UPAs. Com isso, a gente vai destinar o atendimento do HGE para atendimentos de emergência. Isso vai, sem dúvida nenhuma, desafogar o hospital e a gente vai viver melhores momentos na saúde pública aqui em Alagoas”, explicou Alexandre Ayres.

O gestor do hospital, o médico Paulo Texeira, explicou que a medida vai impactar principalmente a Área Azul.

“Será uma das principais beneficiadas com as mudanças que estão ocorrendo. Ela recebe, em média, 350 pacientes diariamente e quase 10 mil mensalmente, o que representa o maior fluxo do HGE, com o acolhimento de todos os tipos de patologias, sendo a maioria delas referentes a causas clínicas. Quando estivermos com a Rede de Saúde Pública funcionando em sua plenitude, esses números serão distribuídos entre as outras unidades de saúde. Neste momento, o Governo do Estado está organizando a Rede de Urgência Estadual, uma vez que é fundamental a regionalização e hierarquização do atendimento”.

Quando procurar o HGE?

 

Entende-se como caso de emergência o paciente que precisa de assistência médica imediata, pois a situação implica em um risco grande de morte. Exemplos de situações que necessitam de atendimento emergencial são:

 

  • corte profundo,
  • acidente de origem elétrica,
  • picada ou mordida de animais peçonhentos,
  • hemorragia (forte sangramento),
  • infarto do miocárdio (dor forte no peito),
  • dificuldade respiratória,
  • intoxicação por alimento ou medicamento,
  • sangue no vômito, urina, fezes ou tosse,
  • grave reação alérgica,
  • febre alta permanente,
  • convulsões,
  • dores intensas no peito, abdômen, cabeça e outros,
  • agressões físicas
  • acidentes de carro, moto,
  • atropelamento e quedas, entre outros.

 

 

Quando procurar uma UPA?

 

Já os casos de urgência são aqueles em que o paciente não apresenta risco de morte, mas que podem evoluir para complicações mais graves, sendo necessário o encaminhamento para o plantão hospitalar, como por exemplo:

 

  • fraturas,
  • luxações,
  • torções,
  • asma brônquica em crise,
  • transtornos psiquiátricos,
  • dor abdominal de moderada intensidade,
  • retenção urinária em pacientes idosos,
  • febre maior que 38 graus há pelo menos 48 horas, mais de um episódio de vômito em até 12 horas, entre e outros.

Autor:

Fonte: g1.globo.com