Alagoas

Candidatos aprovados fazem manifestação na Ponta Verde contra anulação do concurso para soldado da PM

16/01/2022 18h46
Cerca de 200 pessoas, com cartazes e apitos, fazem parte da mobilização. Uma caixa de som também está sendo usada para chamar atenção de quem passa pelo local
Candidatos aprovados fazem manifestação na Ponta Verde contra anulação do concurso para soldado da PM

Aprovados no concurso da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL) fazem um protesto pacífico no bairro da Ponta Verde, em Maceió, neste domingo (16), para cobrar a volta do certame para o cargo de soldado. Recentemente, a Justiça determinou que o Governo mantenha os concursos de oficial da PM e dos bombeiros após os cancelamentos devido à fraudes identificadas nos concursos.

De acordo com informações da comissão dos aprovados, cerca de 200 pessoas, com cartazes e apitos, fazem parte da mobilização. Uma caixa de som também está sendo usada para chamar atenção de quem passa pelo local.

"Pedimos a volta do concurso. Estamos fazendo um ato de boa fé, mostrando a população que estamos sendo vítimas de injustiça por parte do Governo de Alagoas", disse Cicero Jacinto, aprovado no certame para o cargo de soldado.

DECISÃO

A Justiça de Alagoas determinou, no último dia 11, que o Governo de Alagoas prossiga com o concurso da Polícia Militar voltado para os oficiais combatentes da corporação. A decisão ocorre após pedido da Defensoria Pública que considerou o Governo de Alagoas, por meio da a Secretaria de Planejamento (Seplag), precipitado e afirmou ainda que a pasta anulou as etapas usando de dados "inexistentes" para se fundamentar. Com a decisão, a Justiça determinou que o Estado mantenha as etapas do concurso já realizadas e as aproveite para o prosseguimento daquelas que estão por vir.

A decisão reforça o pedido da Defensoria de que a penalidade pela suposta fraude, que ainda está sendo investigada, seja imposta de forma individualizada, e que para isso, não se anule as etapas do certamente, jogando "todos na vala comum".

Para pedir o prosseguimento do concurso sem a repetição das etapas já realizadas, a Defensoria Pública criticou a Seplag, alegando que a pasta prejudicou todos os candidatos, em um certame que teve poucos aprovados para o número reduzido de vagas.

Autor: Clariza Santos

Fonte: gazetaweb.globo.com