Alagoas

Arsal cancela faturas de moradores afetados pelo desabastecimento de água em Maceió

25/11/2021 08h24
Suspensão do pagamento vale para fatura do mês de outubro e até quando o serviço for normalizado. Quem já efetuou o pagamento será ressarcido pela BRK.
Arsal cancela faturas de moradores afetados pelo desabastecimento de água em Maceió

Os moradores afetados pelo desabastecimento de água na parte alta de Maceió terão o pagamento das faturas cancelado a partir do mês de outubro e até que o serviço seja normalizado. A decisão foi tomada pelo colegiado da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal) nesta quarta-feira (24) e será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE).

Os consumidores que já efetuaram o pagamento de qualquer período citado deverão ser ressarcidos pela BRK Ambiental.

Além do cancelamento das faturas, a Arsal também determinou que a concessionária reforce as medidas emergenciais, aumente o fornecimento de carros-pipas e caixas d’águas comunitárias e dê prioridade ao abastecimento das residências com moradores idosos e portadores de necessidades especiais.

A agência reguladora solicitou o mapeamento do fornecimento, com dia, horário e local, além da ampla divulgação do calendário.

Em outubro, o rompimento de uma adutora do Sistema Aviação, na Área de Proteção Ambiental (APA) do Catolé, operado pela Casal, prejudicou o abastecimento de água na parte alta de Maceió. No início de novembro, foi feita uma manutenção emergencial e novamente houve a interrupção na distribuição de água em algumas localidades da capital.

Os conjuntos Santa Maria, Aprígio Vilela e Eustáquio Gomes tiveram impacto direto com a paralisação dos serviços e estão há mais de 30 dias, ininterruptos, com deficiência no abastecimento de água.

Durante o período de cancelamento das faturas, a leitura dos hidrômetros deverá ter continuidade na região afetada para registrar o consumo de cada ciclo, e assim não ocorra acúmulo de consumo, quando o abastecimento de água for normalizado.

A Arsal informou ainda que a solução definitiva do abastecimento de água está em andamento e está fiscalizando as medidas para dar celeridade à obra.

 

Moradores fazem protestos

 

Inconformados com a falta de água, moradores do Conjunto Estáquio Gomes interditaram a principal via de acesos ao bairro e um trecho da BR-104, na primeira semana de novembro, em protesto contra a falta de água na região. Segundo os manifestantes, o problema já durava mais de 30 dias.

Moradores do Aprígio Vilela, em Maceió, também fizeram protesto contra a falta de água. Eles atearam fogo em pneus e fecharam as duas vias da Eco Via Norte.

Uma moradora do Conjunto Estáquio Gomes decidiu tomar banho de cuia no meio da rua como forma de protesto contra a falta de água. Em vídeo gravado, ela narra que tem sido difícil ficar sem água. Caixas d'água foram instaladas nas ruas como medida paliativa até que o problema seja solucionado.

Autor:

Fonte: g1.globo.com