Alagoas

Alagoas segue recomendação do Ministério da Saúde e suspende vacinação de adolescentes sem comorbidades

16/09/2021 18h08
Vacinação continua para pessoas entre 12 e 17 anos com deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.
Alagoas segue recomendação do Ministério da Saúde e suspende vacinação de adolescentes sem comorbidades

O Governo de Alagoas suspendeu nesta quinta-feira (16) a vacinação de adolescentes sem comorbidades contra a Covid-19 após a orientação do Ministério da Saúde (MS), confirmado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems/AL).

Renan Filho (MDB) usou as redes sociais para fazer o anúncio da suspensão.

"Anuncio a suspensão imediata da vacinação a adolescentes de 12 a 17 anos em Alagoas, seguindo a orientação do Ministério da Saúde. A imunização continuará para aqueles que apresentem deficiência permanente ou comorbidades. Reafirmo o nosso compromisso com a vida dos alagoanos", postou.

A orientação do Ministério da Saúde é para que a vacinação fique restrita a três grupos: adolescentes com deficiência permanente, adolescentes com comorbidades e adolescentes que estejam privados de liberdade.

A nova recomendação do ministério contraria outra, do dia 2 de setembro, que orientava a imunização dos jovens entre 12 e 17 anos. A nova decisão foi tomada dentro de um contexto de aumento dos relatos de falta de vacinas no país, sobretudo para a segunda dose.

 

Maceió segue recomendação do Ministério da Saúde

 

A prefeitura de Maceió informou, por meio de nota, que após a orientação do Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde de Maceió suspendeu a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades, conforme Nota Informativa Nº 1/2021, emitida nesta quinta-feira (16).

A capital só mantém a imunização de adolescentes de 12 a 17 anos com deficiência permanente ou comorbidades e dos remanescentes de outros grupos maiores de 18 anos.

O Município reforçou que aguarda autorização para iniciar a aplicação da dose de reforço em idosos.

Autor:

Fonte: g1.globo.com