RL se diz candidato; AT nega e Tico diz sou!

A trilogia da política penedense em 2018: o obstetra, o caroneiro e o espontâneo.

Se olharmos por grupos: RL tem MM e família, AT Jorge, Lula, Walner e Zé Machado, e Tico em formação.

09/07/2018 por Por Raul Rodrigues

É bem verdade que ainda estamos há mais de dois anos das eleições municipais, mas em Penedo as possíveis candidaturas já andam pelos meios políticos e nos points onde se fala a política pura – por alguns – e a politicagem por outros. Política para quem entende do meio; politicagem para quem é servente de pedreiro ou vaquinha de presépio de alguns “políticos”.

Todavia uma única verdade prevalece: eles são os nomes em evidência no momento: Ronaldo Lopes – o caroneiro –, Alexandre Toledo – o obstetra –, e Tico – o espontâneo.

Ronaldo Lopes o caroneiro → aos mais de sessenta anos de boa vida, nunca passou em um concurso, não se tem registro de uma obra assinada por ele como engenheiro, apesar das várias passagens por órgãos públicos – pelo famoso QI de quem indica – e candidato a deputado estadual quando outrem bancou a sua campanha que na verdade se transformou em Parati. Por todos os órgãos por onde passou deixou a indelével marca de ser o filho de! Atual vice-prefeito com as secretarias de comunicação, infraestrutura e planejamento, e a embaixada de Penedo em Maceió, sob o seu comando incluindo o IMA de Alagoas ocupado por um dos seus filhos. Que, diga-se de passagem, com um bom currículo segundo os passos do próprio pai. Com tudo isso, não consegue sair do lugar como pretenso candidato a prefeito. É carro mil em estrada por onde somente se anda com 4X4.

Alexandre de Melo Toledo o obstetra → aquele que somente se diz candidato de fato aos 48 minutos da prorrogação mesmo se mantendo candidatíssimo na desconstrução de quem possa incomodar a sua ida para a prefeitura pela quarta vez, podendo novamente renunciar para assumir uma candidatura maior em defesa dos “interesses de Penedo” deixando em seu lugar o seu vice com um rombo a administrar. Foi isso que aconteceu em 2010. Liso para assumir a candidatura qual sabão em pó; escorrega por entre todas as perguntas da candidatura ou sobre o rombo de 2010. Não deixa de ser um nome forte principalmente depois de apoiar à dupla Biu de Lira investigado nos inquéritos 3989, 3994 e 3996, pelos crimes de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e corrupção passiva e Arthur Lira cujos inquéritos são (3989, 3980, 3996, 3515 e 3911) por corrupção, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e peculato, ambos, objetos de desejo da Polícia Federal, sendo que Arthur Lira é parte da operação Taturana. AT só se decide candidato quando quase não há mais tempo para assinar o registro de candidatura para que todo esse tempo leve o povo a se perguntar: ele é mesmo candidato? É uma forma de se fazer presente nas conversas sobre politicagem. Assim já enganou aos tolos por três vezes. Atualmente só emprega nas comunidades indígenas os pertencentes ao Clã dos Toledo. E pouca gente sabe disso.

Francisco Souza Guerra – Tico – o espontâneo → por se tratar de um nome cogitado em todos os lugares de Penedo em todas as classes sociais, e que pelo desempenho à frente dos órgãos por onde passou ou está – indicado que foi para a Fundação Educacional do Baixo São Francisco, Clube do SESI, eleito para o Sindspem, Procurador Municipal via concurso, diretor interino do SAAE, de onde só recebe elogios pela maneira de administrar com amor e zelo por Penedo, vem se tornando em um nome lembrado para administrar o município. Carrega por sobre os seus ombros marcas de administrador por excelência e algumas dores por sobre os seus ombros de ações comprovadamente necessárias, porém com utilização de metodologias erradas aos olhos do povo e da civilidade. A limpeza das bancas da feira livre e a cobrança de fossas sépticas no bairro de Santa Luzia. Hoje ações exigidas pela própria população por se tratar da imperiosa higiene onde se comercializa alimentos, e o descarte criminoso das águas servidas em meio às ruas da cidade contrariando a todas as leis que cobram o preservar do meio ambiente. Sabe que errou na metodologia, mas nunca se eximiu da sua responsabilidade de querer corrigir erros Crassos. A idade lhe convenceu dos erros.

Dentre os três a população haverá de optar por apenas um para conduzir os destinos de Penedo. Se assim quiserem os penedenses que calem as palavras e que falem as obras! 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: a trilogia da política penedense de 2018: o obstetra - o caroneiro e o espontâneo.