Não criei, não menti nem inventei.

Qual o limite da imprensa? Respeitar pessoas, mas não perder o interesse do povo.

Os fatos são de domínio público. Quem não gostou que mude de postura para merecer elogios e não as críticas.

28/06/2018 por Por Raul Rodrigues

Refleti muito sobre a minha fala no Programa Penedo Real. Teria este redator e repórter transgredido às leis vigentes e os limites da imprensa? E a resposta foi NÃO!

Primeiro porque o limite da imprensa deve se restringir a não invadir a vida pessoal das pessoas. Mas a dos políticos não. Nunca! A vida dos políticos diz respeito às vidas das pessoas. Sejam elas de um país de um estado ou de um município. E isto respalda o bastante para que os limites sejam determinados pelos interesses da população e da verdade dos fatos. Quem é ladrão e pronto!

Portanto, não transgredi em nenhum aspecto. Falei sobre políticos, e cujos mesmos são plenamente identificados como CORRUPTOS nas investigações da Lava Jato, Sanguessugas, Taturanas dentre outras. Logo não ofendi as pessoas, e sim descortinei aos políticos.

Se me perguntassem faria tudo de novo? SIM! Quem é corrupto deve ser identificado como anda e preconiza a lei de imprensa ao divulgar as verdades. 
 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: qual o limite da imprensa? respeitar pessoas - mas não perder o interesse do povo.