A covardia sempre foi a marca dos larápios

A queda das máscaras dos falsos líderes

Fora do poder e em estado falimentar político covarde se vale de "amigos" para prejudicar quem fala a verdade.

12/06/2018 por Por Raul Rodrigues

Juscelino Kubitschek quando presidente do Brasil ao chegar ao Rio de Janeiro convocado que fora para um encontro com estudantes universitários da época que haviam tomado à sede do Palácio do Catete, sede do Governo Federal, foi recebido por uma vaia de milhares de presentes que durou cinco minutos. Assim conta a história de um verdadeiro líder.

Ao adentrar ao gabinete presidencial deparou-se com o presidente da UNE, Carlos Veloso de Oliveira, sentado na cadeira presidencial e com os pés postados por sobre o bureaux em desrespeito ao cargo. Tomado pela surpresa o estadista presidente disse-lhe que feliz do país que o presidente é recebido debaixo de vaias e não faz uso das Forças Armadas para conter o movimento.

Conta à história que Juscelino foi então aplaudido por cinco longos minutos pelos mesmos que o vaiaram.

Nos tempos atuais e aqui em Alagoas, os políticos que sequer chegam à categoria dos que visitam ao túmulo de Juscelino ao ouvirem críticas verdadeiras reagem com ameaças e o uso da justiça para processar a quem fala a verdade.

Aqui em Penedo os arremedos de político agem por uso da covardia e pedem aos políticos da capital para perseguir a quem tem tirocínio e não obedece aos comandos de quem vive a se locupletar do poder público para empregar a si e a parentes.

A forma que fez os políticos com honradez e honestidade foi retirada do Nordeste e em Alagoas não permitiram nem as genéricas. Também em se tratando de políticos in sepulcro não se pode esperar muita coisa.
 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: a queda das máscaras dos falsos líderes

Galeria de fotos