Sugestão de CPI foi levantada!

Um debate na ALE que merece atenção: diplomas universitários fraudulentos.

Polêmica avança em meio a suspeitas de uns e vontade de esclarecimentos de outros.

16/05/2018 por Lula Villar

No dia de ontem, 15, o parlamento estadual conseguiu travar uma discussão que merece de fato atenção de órgãos fiscalizadores, incluindo o Ministério da Educação. Que o assunto levantado pelo deputado estadual Bruno Toledo (PROS) não morra ali e tenha sequência, pois de fato vários estudantes – sobretudo do interior do Estado – podem estar sendo prejudicados.

Toledo, ainda que sem citar as instituições de ensino, pois se trata de uma discussão preliminar – destacou que estudantes podem estar sendo ludibriados pelos “fast-foods” universitários que, mesmo constituídos de forma legal, não possuem autorização do MEC para atuarem em todas as unidades da federação. Com isso, oferecem cursos e, ao final destes, possuem dificuldades para a emissão dos diplomas legais.

Podemos estar diante de “fábricas” de emissão fraudulenta de diplomas de nível superior para alunos do interior do Estado de Alagoas. O parlamentar do PROS cobrou a realização de uma audiência pública como o primeiro passo para entrar de forma séria nessa discussão, já que o parlamento também possui prerrogativas de órgão fiscalizador.

O tema – conforme o deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB) – já foi alvo de uma proposição do tucano para que a discussão ocorresse, mas não avançou. Que Cunha e Toledo possam unir forças nesse sentido e encontrar apoio em outros parlamentares, em especial na Comissão de Educação da Casa de Tavares Bastos.

Outro deputado que se mostrou sensível à questão foi Inácio Loiola (PDT). O pedetista chamou atenção para o fato de ser uma prática que ocorre em todo o país. Classificou o assunto como “grave denúncia” que de fato merece atenção do poder público. De acordo com ele, em muitos momentos os cursos à distância são utilizados nesse sentido.

Toldo salientou que “a imprensa tem noticiado e tenho acompanhado denúncias sobre fraudes contra pessoas que cursam universidades à distância e estão sendo ludibriadas por falsas instituições. Trouxe esse assunto porque é missão desta Casa também entrar nesta questão. São alagoanos que estão sendo enganados”.

O deputado contou que, em conversa com o representante do movimento Diploma Legal, João Catunda, lhe foi relatado que o problema tem sido motivo de pânico nas famílias lesadas. “Há o investimento de tempo e de recursos financeiros e, depois de um longo período de estudos, voltam à estaca zero”, contou Bruno Toledo, acrescentando que em outros estados, a exemplo de Pernambuco, os estudantes lesados conseguiram que o Poder Legislativo abrisse uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso.

“Em Pernambuco, os estudantes foram prejudicados, tiveram os diplomas cassados. Alagoas está tentando agir na contramão dessa alternativa, tentando resolver o problema sem que as pessoas sejam prejudicadas”, informou Toledo.

(Com informações da Assessoria da Assembleia Legislativa)


Fonte: cadaminuto.com.br

Tags: um debate na ale que merece atenção: diplomas universitários fraudulentos.