Aliados arranhados. adversários vencidos.

Após aprovação da Previdência Própria, MB silencia e arranha aliado. Por que seria?

Entre mortos e feridos só saberemos quais morreram e quantos sobreviveram em 2020. Mas amostras virão em 2018.

15/05/2018 por Por Raul Rodrigues

A lógica quando prevalece na política normalmente o autor da analogia sempre procura demonstrar o tirocínio da sua liderança mesmo que interna ao pequeno grupo. Neste caso dentro da Casa de Leis.

As ranhuras e rasuras dos votos durante a dolorosa via crucis que perdurou por sete longos meses de esperanças e decepções dos pobres barnabés – os servidores públicos municipais – o senhor prefeito Március Beltrão alcançou ao seu intento mesmo depois de várias traições de quem hoje se lamenta entre quatro paredes. Quem discordar de tal afirmação que prove ao contrário.

Dentre os que votaram de conformidade com a lei natural de quem manda quem pode e obedece quem precisa, a aprovação foi tão somente uma consolidação das leis políticas. CLP.

O preço dos votos foi alto e será repassado nas urnas em outubro quando dos apoios dos senhores vereadores aos seus aliados políticos, deputados estaduais e federais, senadores e ao candidato a governador. Os servidores estão ávidos por este dia.

E como maestro da orquestra que entoou o hino da vitória na aprovação do Projeto de Lei, o prefeito Március Beltrão ainda não se pronunciou ao povo justificando até o desconto da previdência própria sem nenhum tipo de aporte para atendimento aos servidores. Descontar é possível! Impossível por enquanto é se saber para onde e para que?

Eleitores da previdência continuam à espera de um milagre. Que Március Beltrão resolva falar.

Ah! Ele irá falar sim. Irá pedir votos para Marcelo Beltrão, seu irmão, candidato a deputado estadual, que guardará a vaga da ALE de MB em 2022.


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: após aprovação da previdência própria - mb silencia e arranha aliado. por que seria?