Na realidade a democracia é boa , mas é falha

Quem entende que a maioria está certa condenaria Jesus novamente.

Enquanto se vender voto e se comprar voto, Penedo não passará de sofrível.

19/11/2020 por Por Raul Rodrigues

Li uma pergunta de um internauta que perguntava se a maioria esteva errada ao votar em seus escolhidos. E entendi de pronto, que o endereço era de fato defender a votação de um recém-eleito para a Câmara de Vereadores. Resultados não se contestam, se respeitam.

Entretanto, comentar a escolha de alguém para o cargo é simplesmente analisar as consequências desses votos em função do que virá por intermédio de quem foi eleito. Se um vereador já preparado ou se um novato vulnerável ao domínio das feras criadas dentro da seara da Câmara de Vereadores. E neste ângulo agudo de análise declinei que toda maioria é senso comum, e que senso comum é sempre errado.

Quem condenou Jesus foi a maioria. Quem entendeu está sendo errado foi bom senso de Pôncio Pilatos que “lavou as mãos” ante a decisão da maioria. E foi neste contexto que combati a ideia que os eleitos estejam preparados para ocuparem os cargos. Não aceito como certo ou certa toda e qualquer decisão da maioria. E isto é fundamento científico.

Tendo por base a realidade da humanidade, no mundo atual a maioria das religiões não tem por princípio o Cristianismo. Muito embora os nomes de Deus ou de Cristo sejam escrito no Alcorão por noventa e nove nomes diferentes.

Estão fazendo da eleição para o parlamento experimento para cobaias que compram votos ou compram votos das maiorias dos eleitores que vendem os votos.


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: quem entende que a maioria está certa condenaria jesus novamente.