Dos fatos, os fatos.

Quais as verdades das eleições 2020 em Penedo. Por Raul Rodrigues

Eis a maior analogia das campanhas eleitorais de Penedo deste ano. Se alguém é laranja de alguém, a sigla do partido já denuncia. Pense Socialmente Democraticamente Brasileiramente.

26/09/2020 por Por Raul Rodrigues

Estamos no modo – “off-line” – em descanso mental, vez que estamos com programa de segundas às sextas-feiras das 09:00 horas às 12:00 horas nas redes sociais. Isto gera um grande desgaste físico e mental para quem vem de cirurgia do Câncer de Mama, quimioterapia, enfrentando pandemia e as dificuldades naturais desse momento.

E tudo isto são fatos.

Entretanto, principalmente aos finais de semana – sexta de tarde ou sábado pela manhã – estaremos tentando escrever o suprassumo da política local, estadual e nacional. Pelo menos umas três matérias ou artigos. Nossa credibilidade nos cobra atender aos nosso milhares de leitores diários.

Começando então a dá ênfase ao título da matéria.

A candidatura de Ronaldo Lopes, à qual não dávamos crédito algum pela anemia – quase hemofilia – que se mostrava ter em função do silêncio das ruas enfim ganhou corpo e isto é fato depois da chegada do Coordenador da campanha, Március Beltrão, prefeito de Penedo em elevada fase popularidade. Bem maior que de 2016, quando mesmo assim venceu as eleições majoritárias. Hoje Lopes faz ecoar o seu nome nos meios de points da política penedense. Quem discordar desse observatório político está com três deficiências: visual, auditiva e de percepção. Com os votos de MB e do poder de fogo da prefeitura, Ronaldo Lopes vai para a disputa com força.

Ivana Toledo trouxe a garantia de que o grupo Toledo não ficaria de fora da disputa eleitoral – dos últimos tempos – atendendo a um preceito político, ninguém com a densidade respeitável de votos em um município fica de fora das eleições. Ivana veio como nome antecipadamente escolhido para substituir ao do seu eterno companheiro de batalhas políticas – Alexandre Toledo – antes mesmo da ciência do povo de que AT é condenado e impedido de participar das eleições até 2028. Toledo é o segundo nome político mais forte da política local, muito embora Ivana venha carregada de máculas – inclusive uma condenação em primeira instância – por ato de improbidade administrativa por uso de notas falsas em prestação de contas em mandato anterior. Pela incapacidade administrativa comprovada – faliu tudo o que administrou – será um alvo fácil de ser derrubado durante o voo de 45 dias.

Tico Guerra foi o nome preparado por Március Beltrão para chegar a compor na vaga de vice de Ronaldo com força de arranque pelas tarefas desenvolvidas à frente de onde passou e que é reconhecidamente um nome de poder com resolutividade de problemas em órgãos ou entidades por onde desfilou como gestor – SESI, FEBESF, SINDSPEM, SAAE E PROCURADORIA, além da passagem pela secretaria de administração durante a gestão do ex-prefeito Dr. Dirson. Március vislumbrou a chance de Tico vir a ser o nome de ligação entre as elites de Penedo e o povão dando certeza pública e de fé de ofício de uma dupla imbatível nas urnas. “Mas no meio do caminho tinha uma pedra, e tinha uma pedra no meio do caminho”, Tico se enxergou como parte da população penedense também enxergou com plenas condições de disputar as eleições deste ano. E aí o sonho da construção do vice ideal foi por água abaixo, e só restou ao grupo de RL e MB buscar desidratar a campanha de Tico Guerra, um guerreiro a serviço do povo e do município, fato que se segue até 15 de novembro de 2020.

Nelsinho é apenas a piada da campanha e dispensa comentários. O Fundo Partidário faz muita coisa.
 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: quais as verdades das eleições 2020 em penedo. por raul rodrigues