Sanções da ONU contra o Irã

De forma unilateral, EUA afirmam que sanções da ONU contra o Irã 'foram retomadas'

Pouco mais de um mês depois de ser derrotado no Conselho de Segurança e fora do acordo sobre o programa nuclear iraniano, secretário de Estado afirma que medidas são relativas a 'violações' por parte de Teerã

20/09/2020 por Redação

WASHINGTON — O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, anunciou na noite deste sábado que as sanções da ONU impostas contra o Irã e suspensas após o acordo sobre o programa nuclear do país foram retomadas. Muito embora os EUA tenham fracassado em uma iniciativa para reimpor medidas contra Teerã, no mês passado, e estejam isolados dentro do Conselho de Segurança, o anúncio deve provocar intensos debates nos próximos dias, ainda mais às vésperas de uma quase virtual Assembleia Geral da ONU.


"Praticamente todas as sanções da ONU contra o Irã foram retomadas, esse Estado que é o maior patrocinador do terrorismo e antissemitismo. Isso inclui uma extensão permanente do embargo à venda de armas", afirmou Pompeo, no Twitter. Esse aumento de prazo foi derrubado pelo Conselho de Segurança em agosto, e seus integrantes já alertaram aos americanos para que não seguissem nessa linha de ação.

O secretário de Estado afirmou ainda que "espera que todos os países-membros da ONU cumpram com suas obrigações diante dessas restrições novamente impostas".

No mês passado, os EUA apresentaram uma reclamação formal contra Teerã, relacionada a possíveis violações do acordo que estabeleceu limites ao programa nuclear do país, assinado em 2015, em troca do fim das sanções e de relações comerciais pacificas nos mercados internacionais.

Contudo, os americanos deixaram o acordo em 2018, e, na visão dos demais signatários — Rússia, China, Alemanha, França, Reino Unido, além da União Europeia — não possuem mais o direito de acionar tal mecanismo, que é o meio legal de retomar as punições. Washington alega que assinou a resolução que oficializa o acordo no Conselho de Segurança, o que lhe daria o direito de pedir o retorno das sanções.

Com a confirmação da ameaça, os integrantes do acordo temem agora que eventuais vendas de armamentos, permitidas a partir do mês que vem, sejam alvo de retaliações por parte dos EUA, na forma das chamadas "sanções secundárias", quando nações que negociam com o Irã sofrem punições por parte de Washington.

— É hora das nações amantes da paz reconhecerem essa realidade e se juntarem a nós ao impor sanções contra o Irã — afirmou esta semana o representante dos EUA para o Irã, Elliott Abrams.

Na quinta-feira, diante da iminência de um anúncio americano sobre as sanções, o presidente iraniano Hassan Rouhani afirmou que os EUA "não estão qualificados" para pedir a retomada das punições, e que os EUA vão "fracassar" nessa iniciativa.

— O fracasso dos EUA é uma das maiores vitórias do Irã — afirmou o presidente.


Fonte: oglobo.globo.com

Tags: de forma unilateral - eua afirmam que sanções da onu contra o irã 'foram retomadas'