Criança como testemunha

Amiga da mãe de duas crianças que morreram em incêndio diz que ouviu suspeito ameaçar mulher: 'Te mato, de hoje não passa'

Incêndio ocorreu em Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba; duas meninas, de 2 e 6 anos, morreram no local. Ex-marido da mulher está preso suspeito de ter colocado fogo na casa.

11/09/2020 por Redação

Uma amiga de Rosenilda Rodrigues Faria, mãe das duas meninas que morreram em um incêndio em uma casa em Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, na terça-feira (8), falou à RPC que ouviu o ex-marido de Rosenilda, Lucas Ramos Machado, ameaçá-la antes do ocorrido.

"Primeira briga deles começou dentro do carro. [Ele] desceu correndo atrás dela. Chegamos na casa, ele estava em cima dela, batendo nela e ela não conseguia escapar. A Rose conseguiu correr dele, e ele correu atrás dela e falou: 'te mato', e falava também, 'de hoje não passa, eu mato você e ainda atiro fogo na casa', ele falou", disse a amiga que preferiu não se identificar.

Rosenilda teve 70% do corpo queimado nos membros inferiores, superiores, no rosto e em parte do tronco. Ela está em estado grave na UTI do Hospital Evangélico Mackenzie.

As filhas dela tinham dois e seis anos e morreram carbonizadas. Outras três crianças, que também são filhas dela, não ficaram feridas e foram levadas para o conselho tutelar da cidade.

Lucas Machado e foi preso suspeito de colocar fogo na casa. Ele é pai da menina de dois anos.

A amiga disse que estava com o casal poucas horas antes do incêndio. Ela contou que eles foram até um bar e que Lucas e Rosenilda brigaram.

"Quando eu entrei no quarto para deitar, escutamos aquela gritaria, tipo briga. Foi tudo muito rápido", comentou.
A polícia informou que, em depoimento, Lucas Ramos Machado admitiu que agrediu Rosenilda, mas negou que tenha colocado fogo na casa. A mãe de Lucas disse que estava com ele na hora do incêndio.

Denúncia de violência doméstica
Na noite de segunda-feira (7), Rosenilda ligou para a Polícia Militar (PM) e relatou que estava sofrendo agressões por parte de Lucas. Após a denúncia, a PM foi até a casa, mas ele não estava no local.

No Boletim de Ocorrência (B.O.), os policiais relataram que ela declarou que estava sofrendo agressões e que, quando chegaram na casa perceberam que ela tinha lesões na face e na cabeça.

Segundo a PM, os policiais levaram Rosenilda até a casa dessa amiga e orientaram que ela ficasse lá com os filhos até que o ex-companheiro dela fosse encontrado.

Rosenilda, no entanto, retornou para a casa dela durante a madrugada com as duas meninas mais novas.

Pela manhã a casa foi incendiada com ela e as duas filhas dentro. A equipe dos bombeiros foi chamada, mas quando chegou as crianças já tinham sido carbonizadas. Lucas é suspeito de ter provocado o incêndio.

No B.O, os policiais também declararam que a a jovem foi orientada para procurar a Polícia Civil para pedir guia de lesão corporal.

O delegado Cassiano Aufiero, que está cuidado do caso, disse que está ouvindo testemunhas para concluir as investigações. Ele também disse que vai pedir uma perícia no celular do ex-marido. O inquérito, segundo Aufiero, deve ser concluído em dez dias.

A família de Rosenilda disse que não sabia que os dois tinham uma relação conturbada e que ela sofria agressões. Os dois conviveram juntos por sete anos, ainda conforme os familiares.

 


Fonte: g1.globo.com

Tags: amiga da mãe de duas crianças que morreram em incêndio diz que ouviu suspeito ameaçar mulher: 'te mato - de hoje não passa'

Galeria de fotos